sicnot

Perfil

Mundo

Novo balanço do sismo no Equador contabiliza 246 mortos

Um novo balanço sobre o sismo que atingiu hoje o Equador contabiliza 246 mortos e 2.527 feridos, revelou o vice-presidente equatoriano, Jorge Glas.

© Guillermo Granja / Reuters

Em declarações aos jornalistas em Manta, uma das localidades afetadas pelo sismo, Jorge Glas admitiu que existe uma lista de pessoas desaparecidas, mas não quantificou.

De acordo com a agência France-Presse, entre as vítimas mortais há dois canadianos.

A costa norte do Equador foi atingida às 18:58 de sábado (00:58 de domingo em Lisboa) por um sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter.

O terramoto foi registado a dez quilómetros de profundidade e com o epicentro a cerca de 173 quilómetros da capital, Quito.

Jorge Glas disse que este foi o pior sismo que o Equador sentiu em décadas.

Entre as localidades mais afetadas está Pedernales, onde o presidente de câmara, Gabriel Alcivar, afirmou que podem ter morrido pelo menos 400 pessoas, muitas delas turistas que podem estar soterradas nos escombros de alguns dos 40 hotéis que colapsaram.

"Precisamos de ajuda, de medicamentos, água e comida para ajudar as pessoas", disse.

Venezuela, Espanha, Estados Unidos, a Cruz Vermelha e o Fundo Monetário Internacional já prontificaram ajuda no terreno.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".