sicnot

Perfil

Mundo

Bases do Podemos rejeitam unir-se ao PSOE-Ciudadanos para Governo em Espanha

Os simpatizantes do Podemos rejeitaram hoje (com uma maioria de 88,2%) que o partido se associe ao acordo entre o PSOE e o Ciudadanos, optando por um Governo de coligação à esquerda que os socialistas também recusam.

© Susana Vera / Reuters

O Podemos convocou uma votação sobre um apoio ao pacto PSOE-Ciudadanos (com a alternativa de optar por um governo de coligação de esquerda) para os dias 14 a 16 de abril, na sua página de Internet. Dos 393 mil inscritos votaram quase 150 mil simpatizantes da formação de Pablo Iglesias.

Entre os que votaram, 88,23% rejeitaram uma adesão do partido ao acordo entre PSOE e Ciudadanos - algo que os socialistas tinham vindo a pedir para viabilizar a investidura do seu secretário-geral, Pedro Sánchez, e impedir uma nova legislatura do PP.

A primeira das perguntas na consulta aos militantes do Podemos era precisamente sobre se apoiava o acordo Rivera-Sánchez (numa referência aos líderes do Ciudadanos, Albert Rivera, e do PSOE). PSOE e Ciudadanos somam 130 votos no parlamento, pelo que uma abstenção ou "sim" do Podemos (69 deputados) lhes daria a maioria absoluta.

A segunda pergunta era se apoiava a linha da direção do Podemos, que visa um governo de coligação de esquerda, liderado pelo PSOE mas integrado também por membros do Podemos e da Izquierda Unida (partido comunista). Esta via soma 161 votos no Congresso dos Deputados.

Nove em cada dez simpatizantes do Podemos (91,79%) apoiaram a segunda via. Ao anunciar a consulta, a direção do Podemos admitiu a hipótese de se demitir caso as bases não rejeitassem o acordo PSOE-Ciudadanos.

Os deputados espanhóis têm até 02 de maio para eleger um presidente do Governo, caso contrário Espanha parte para novas eleições gerais a 26 de junho.

Nas eleições de dezembro, o PP ganhou sem maioria absoluta (123 deputados), abrindo caminho a uma "solução à portuguesa" - um governo de coligação de esquerda - que nunca chegou a ser acertada entre os partidos.

O PSOE (90 deputados) optou por governar sozinho com apoios parlamentários, conseguindo apenas atrair para essa via o Ciudadanos (40 assentos). O Podemos (69 deputados juntando as confluências regionais) propôs desde início ao PSOE entrar no governo com uma presença proporcional aos votos, juntando também a Izquierda Unida.

Já o PP optou por esperar que o PSOE falhasse nas sucessivas tentativas de fazer acordos com a direita e a esquerda. O líder socialista, Pedro Sánchez, chegou mesmo a submeter-se a uma sessão de investidura, mas foi chumbado em duas votações, algo inédito na democracia espanhola.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.