sicnot

Perfil

Mundo

Japão vai usar satélites para garantir comunicação em caso de desastre natural

O Governo japonês planeia pôr em marcha uma rede de satélites GPS que garantam as comunicações quando as redes tradicionais deixam de funcionar devido a um desastre natural, revela hoje o jornal económico Nikkei.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

© Ho New / Reuters (Arquivo)

O objetivo do executivo nipónico é evitar uma situação semelhante à que aconteceu após o sismo de 11 de março de 2011, que deixou sem rede cerca de 29.000 telemóveis e 1,9 milhões de telefones fixos, dificultando os trabalhos de busca e resgate de sobreviventes.

Tóquio, que iniciará os testes deste sistema em 2018, já colocou em órbita um dos satélites GPS, com o nome Michibiki (termo que pode ser traduzido como 'guia' ou 'orientação') e lançará outros seis entre 2018 e 2023, segundo o diário.

Estes satélites vão ligar os 'smartphones' das pessoas afetadas por desastres naturais às forças de segurança, bombeiros, hospitais ou à Agência Meteorológica do Japão através de mensagens de texto.

Caso um sobrevivente peça ajuda, a informação será transmitida através desta tecnologia GPS às autoridades locais e equipas de resgate.

Além disso, os afetados podem receber avisos de sismo ou evacuação nos seus terminais móveis.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

Na semana passada, o país registou dois fortes sismos que causaram pelo menos 42 mortos e nove desaparecidos.

Lusa

  • Mais de 10 réplicas sentidas após sismo de 7.0 no Japão
    2:47

    Mundo

    Um sismo no Japão fez hoje quatro mortos e cerca de 400 feridos. Dois abalos de magnitude acima dos 7.0 valores na escala de Richter atingiram ontem o sudoeste do país e levaram a que fosse emitido um alerta de tsunami. As equipas de socorro procuram vítimas entre os escombros da cidade de Kumamoto, a mais afetada pelos tremores de terra. Já depois dos dois tremores de terra foram registadas mais de 10 réplica.

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09
  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.

  • Restaurante em prisão na Colômbia serve comida confecionada por detidas
    1:04