sicnot

Perfil

Mundo

Japão vai usar satélites para garantir comunicação em caso de desastre natural

O Governo japonês planeia pôr em marcha uma rede de satélites GPS que garantam as comunicações quando as redes tradicionais deixam de funcionar devido a um desastre natural, revela hoje o jornal económico Nikkei.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

© Ho New / Reuters (Arquivo)

O objetivo do executivo nipónico é evitar uma situação semelhante à que aconteceu após o sismo de 11 de março de 2011, que deixou sem rede cerca de 29.000 telemóveis e 1,9 milhões de telefones fixos, dificultando os trabalhos de busca e resgate de sobreviventes.

Tóquio, que iniciará os testes deste sistema em 2018, já colocou em órbita um dos satélites GPS, com o nome Michibiki (termo que pode ser traduzido como 'guia' ou 'orientação') e lançará outros seis entre 2018 e 2023, segundo o diário.

Estes satélites vão ligar os 'smartphones' das pessoas afetadas por desastres naturais às forças de segurança, bombeiros, hospitais ou à Agência Meteorológica do Japão através de mensagens de texto.

Caso um sobrevivente peça ajuda, a informação será transmitida através desta tecnologia GPS às autoridades locais e equipas de resgate.

Além disso, os afetados podem receber avisos de sismo ou evacuação nos seus terminais móveis.

Desastres naturais, como tsunamis, chuvas fortes, tufões ou sismos são frequentes no Japão.

Na semana passada, o país registou dois fortes sismos que causaram pelo menos 42 mortos e nove desaparecidos.

Lusa

  • Mais de 10 réplicas sentidas após sismo de 7.0 no Japão
    2:47

    Mundo

    Um sismo no Japão fez hoje quatro mortos e cerca de 400 feridos. Dois abalos de magnitude acima dos 7.0 valores na escala de Richter atingiram ontem o sudoeste do país e levaram a que fosse emitido um alerta de tsunami. As equipas de socorro procuram vítimas entre os escombros da cidade de Kumamoto, a mais afetada pelos tremores de terra. Já depois dos dois tremores de terra foram registadas mais de 10 réplica.

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas

    Mundo

    As mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas ou bissexuais, ou mesmo que todos os homens hetero, homo ou bissexuais. O estudo que dá conta desta realidade revela também o que fazer para aumentar as hipóteses de uma mulher alcançar um orgasmo.

  • Portugal é o segundo país da Europa com mais emigrantes
    1:39

    País

    São 2,3 milhões os portugueses que vivem no estrangeiro, ou seja, 22% da população. O último relatório do Observatório da Emigração relativo a 2015 mostra que se manteve o mesmo número de saídas de Portugal para o estrangeiro registadas no pico atingido em 2013: acima das 110 mil por ano. O Reino Unido é o principal país de destino.

  • Descoberta produção de canábis em abrigo nuclear 

    Mundo

    A polícia britânica descobriu, no sul de Inglaterra, um antigo abrigo nuclear subterrâneo adaptado à produção de canábis em grande escala. A operação levou à detenção de cinco homens e um adolescente de 15 anos. Foram também apreendidas milhares de plantas de canábis.

  • Carnaval na Almirante Reis
    2:39

    País

    Lisboa também celebra o Carnaval e esta manhã mais de três mil crianças participaram num desfile pela Avenida Almirante Reis, alunas de escolas públicas e privadas de 24 nacionalidades. Na freguesia de Arroios vivem estrangeiros de 79 nacionalidades.