sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos no Equador sobe para 272

Até ao momento há 272 mortos e 2.068 feridos confirmados devido ao sismo que ocorreu no sábado, no Equador.

© Guillermo Granja / Reuters

O Presidente do Equador, Rafael Correa, informou no domingo que, até ao momento, há 272 mortos e 2.068 feridos confirmados em consequência do sismo de magnitude 7,8 ocorrido no sábado.

"Receio que estes números aumentem porque continuamos a remover os escombros", disse Rafael Correa, nas primeiras declarações após regressar de uma viagem à Europa onde participou num fórum académico organizado pelo Vaticano.

O número de réplicas do sismo de magnitude 7,8, que atingiu o Equador no sábado, chegou às 239, segundo informou o Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional do país.

A réplica de maior magnitude registada no domingo alcançou os 5 graus e localizou-se a nordeste da localidade de Muisne, no sul da província costeira de Esmeraldas, disse à Efe Gabriela Ponce, chefe de turno do Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional.

"As réplicas continuam e vão manter-se assim, não sabemos por quanto tempo nem com que magnitude", afirmou, ressalvando que têm diminuído de número e intensidade desde sábado.

Com Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.