sicnot

Perfil

Mundo

NATO assegura que não está a preparar novas operações na Líbia

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, assegurou hoje que a organização não está a preparar novas operações de combate na Líbia e está disposta a apoiar as instituições de defesa do novo governo de unidade nacional.

REUTERS

"Não estamos a planear nenhuma nova operação de combate na Líbia", disse Stoltenberg à imprensa, à chegada ao conselho de ministros da Defesa da União Europeia (UE), no qual participa como convidado.

"Temos um mandato dos líderes da Aliança para estarmos preparados para apoiar o novo governo líbio de unidade nacional", acrescentou, precisando que estão a ser avaliadas áreas "importantes para uma Líbia mais estável" como o reforço de capacidades e a reforma das instituições de Defesa.

Qualquer apoio, precisou, "só será dado a pedido do governo de unidade nacional", que ainda não foi legitimado internamente, mas que conta com o reconhecimento da comunidade internacional.

A Líbia vive uma situação de caos devido à guerra civil que se seguiu à revolução de 2011, em que Muammar Kadhafi foi deposto com o apoio da NATO.

Ao conflito político protagonizado por dois governos - um em Tobruk (leste), reconhecido pela comunidade internacional, e outro em Tripoli, apoiado por milícias tribais -, juntou-se a entrada em território líbio do grupo extremista Estado Islâmico.

O governo de unidade nacional, fruto de negociações mediadas pela ONU, autoproclamou-se em funções a 12 de março, com o apoio de uma centena de deputados, do banco central e da companhia petrolífera líbia, mas precisa de um voto de confiança do parlamento de Tobruk.

A ONU e a UE esperam que a entrada em funções do governo de unidade permita impedir o grupo 'jihadista' de usar a Líbia como base de retaguarda e, por outro lado, controlar a partida de embarcações de migrantes com destino à Europa.

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22