sicnot

Perfil

Mundo

Obama viaja para Riade durante polémica sobre as vítimas do 11 de setembro

O Presidente norte-americano partiu hoje para Riade, durante uma polémica sobre a sua rejeição de um diploma para que as vítimas dos ataques do 11 de setembro possam processar o Governo da Arábia Saudita pelo ataque terrorista.

© Kevin Lamarque / Reuters

Barack Obama, justificou a sua oposição ao projeto de lei, em entrevista à estação de televisão CBS divulgada hoje, explicando que não se trata apenas de uma "questão bilateral" com a Arábia Saudita, mas das "interações dos EUA" com todos os países do mundo.

"Se abrirmos a possibilidade de que os indivíduos e os Estados Unidos possam começar a processar rotineiramente outros governos, então também tornamos mais fácil a possibilidade de os Estados Unidos serem continuamente processados por pessoas de outros países", disse Obama.

O projeto de lei em questão, chamado Lei de Justiça contra Estados patrocinadores do terrorismo, permitiria que as famílias das vítimas dos ataques do 11 de setembro e de outros atentados possam responsabilizar as nações suspeitas de terem apoiado esses ataques.

Nos ataques de 11 de setembro de 2001 morreram cerca de 3.000 pessoas e 15 dos 19 terroristas envolvidos eram de origem saudita.

O Governo da Arábia Saudita ameaçou tomar medidas económicas se o país enfrentar alguma acusação formal por apoiar o terrorismo, como resultado do projeto de lei que está a ser debatido no Congresso dos EUA e que Obama prometeu vetar.

Enquanto isso, os dois candidatos à indicação presidencial democrata para a eleição de novembro, a ex-secretária de Estado, Hillary Clinton e o senador Bernie Sandres, manifestaram apoio ao projeto de Lei.

Obama vai aterrar dia 20 de abril em Riade, capital da Arábia Saudita, onde se reunirá com o rei saudita Salman bin Abdulaziz, e participar, no dia 21 na cúpula do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), numa Cimeira que conta com os líderes do CCG (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Catar, Omã e Bahrein).

Segundo disse hoje o porta-voz da Casa Branca na conferência de imprensa diária, os aliados norte-americanos têm "diferenças significativas" sobre várias questões, que Obama espera resolver durante a sua visita a Riade.

Lusa

  • Trump confunde 11 de setembro com nome de cadeia de lojas de conveniência
    0:26

    Mundo

    Apesar das análises que dizem que a campanha de Donald Trump está mais contida por causa dos desentendimentos que o candidato tem tido com o partido republicano, certo é que as declarações do milionário continuam a surpreender. Desta vez, Trump enganou-se na data do atentado ao World Trade Center. Em vez de 11 de Setembro (nine/eleven), disse 11 de julho (seven/eleven), que nos Estados Unidos é o nome de uma cadeia de lojas de conveniência.(segue clip)

  • Casos de aviões sequestrados
    2:33

    Mundo

    Apesar das fortes medidas de segurança adotadas nos aeroportos após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, os piratas do ar continuam a encontrar formas de levar a cabo o sequestro de aviões. Eis alguns casos de aviões que foram desviados.

  • Obama prevê que Daesh perca Mossul "no final do ano"
    0:29

    Daesh

    Barack Obama prevê que o Daesh perca Mossul, o principal bastião que tem no Iraque, no final do ano. Em entrevista à estação televisiva CBS, o Presidente dos Estados Unidos reafirmou a estratégia norte-americana na luta contra o terrorismo, mediante o apoio e treino de forças locais, ao invés de presença militar.

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.