sicnot

Perfil

Mundo

"Gostos" na página de coronel condenado por tortura no Brasil disparam após homenagem de deputado

A homenagem feita pelo deputado Jair Bolsonaro ao coronel Brilhante Ustra durante votação que levou à destituição de Dilma Rousseff fez disparar a popularidade do primeiro militar brasileiro condenado por tortura. A página do Facebook de Ulstra disparou 3.300%.

Página do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra no Facebook

Página do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra no Facebook

Conta a BBC Brasil que, no Facebook, a página de Ulstra, alegadamente alimentada por apoiantes, ganhou quase 3 mil "gostos" nas últimas 72 horas. Um crescimento de mais de 3.300%.

Agora a página já conta mais de 41.737 "gostos".

Antes do discurso do deputado Jair Bolsonaro, o número de seguidores mantinha-se inalterado.

Entretanto, conta a BBC, mais quatro páginas foram criadas, nesta rede social, para homenagear o torturador.

Recorde-se que o Coronel Ulstra, entre 1970 e 1974 esteve à frente do DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informação - Centro de Operações de Defesa Interna). Durante esse período cerca de 50 pessoas foram assassinadas ou desapareceram e 500 foram torturadas.

Discurso de Jair Bolsonaro na Câmara de Deputados quando se votava a destituição da Presidente:
"Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo exército de Caxias, pelas Forças Armadas, pelo Brasil acima de tudo e por Deus acima de tudo, o meu voto é sim."


Reacção de Dilma Rousseff às palavras de Bolsonaro, esta terça-feira:
"Fui presa nos anos 1970. De fato, eu conheci bem esse senhor a que ele se referiu. Foi um dos maiores torturadores do Brasil, contra ele recai não só a acusação de tortura, mas também de mortes", disse. "É terrível ver alguém votando em homenagem ao maior torturador que o Brasil conheceu."

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33