sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 654 o número de mortos no sismo no Equador

O número de mortos no sismo da semana passada no Equador subiu para 654 e o de feridos passou para 16.601, segundo um novo balanço das autoridades do país divulgado no sábado.

© Guillermo Granja / Reuters

Permanecem desaparecidas 58 pessoas e 25.640 continuam em alojamentos temporários, revelam os mesmos dados oficiais.

Até agora, 113 pessoas foram retiradas com vida dos escombros dos edifícios que ruíram devido ao sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter, um dos mais violentos da história do Equador.

O sismo, que já teve 788 réplicas, destruiu 6.998 edifícios e danificou 2.740, incluindo 281 escolas.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".