sicnot

Perfil

Mundo

Supremo Tribunal venezuelano rejeita pretensão da oposição em reduzir mandato de Maduro

O Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela (STJ) rejeitou esta segunda-feira a pretensão da oposição em rever a Constituição para diminuir o mandato do Presidente Nicolás Maduro, tendo classificado a iniciativa como "uma fraude".

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Segundo a decisão do STJ, uma eventual modificação da Constituição não poderia ser aplicada no atual mandato, somente em futuros exercício dos cargo presidencial.

"Tratar de utilizar a figura da revisão constitucional para reduzir de maneira imediata o exercício de um cargo de eleição popular como o do Presidente da República, constitui, à evidência, uma fraude à Constituição, que prevê um mecanismo político efetivo para tal fim, tal como é o exercício de um referendo revogatório, contemplado na Carga Magna", afirma a sentença.

O STJ sublinha que segundo o Código Civil venezuelano "as leis não têm efeito retroativo" e que "nenhuma disposição jurídica, seja de que hierarquia for, pode ter efeitos retroativos".

O presidente do parlamento, Henry Ramos Allup, já reagiu à sentença e acusou o STJ de "já nem esperar a aprovação das leis, para as declarar inconstitucionais, sem conhecer o texto definitivo".

Noutra decisão, também divulgada hoje, o STJ ordenou à Assembleia Nacional (AN), que consulte o Executivo sobre a viabilidade económica das leis que prevê aprovar, antes de legislar sobre elas.

O documento, divulgado hoje mas com data de 22 de abril, explica que foram tidas em "consideração as limitações financeiras do país, o nível prudente da dimensão da economia e a condição de excecionalidade económica decretada pelo Executivo".

Na sua sentença, o STJ suspende temporariamente vários artigos do Regulamento Interior e de Debates da Assembleia Nacional da Venezuela, com base num pedido feito pela oposição venezuelana em 2011, quando o parlamento venezuelano era maioritariamente controlado por forças afetas ao regime venezuelano.

A oposição, que desde as eleições parlamentares de dezembro de 2015 detém a maioria no parlamento, acusa o STJ de pretender bloquear e condicionar os trabalhos parlamentares.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.