sicnot

Perfil

Mundo

Como sentimos dor volta a ser um mistério

Um novo estudo vem questionar a teoria sobre a forma como sentimos a dor. Qual é a parte do cérebro onde é gerada a sensação de dor voltou a ficar envolta em mistério.

© Gonzalo Fuentes / Reuters

Cientistas britânicos do University College de Londres (UCL) e da Universidade de Reading quiseram investigar a natureza da "matriz da dor", um padrão específico de atividade cerebral que tem sido considerado como um indicador fiável da sensação de dor.

Em estudos anteriores com recurso a imagiologia, o cérebro das pessoas submetidas à dor "iluminava-se" exatamente no mesmo local - o que deu então origem à teoria da "matriz da dor".

Este novo estudo, agora publicado na revista JAMA Neurology, vem questionar essa certeza.

Os cientistas recrutaram duas pessoas com uma doença rara que faz com que não sintam dor, bem como outros quatro voluntários saudáveis, todos praticamente com a mesma idade.

Todos os seis participantes foram submetidos à mesma dolorosa picada de alfinete enquanto os cérebros eram monitorizados por ressonância magnética. O estranho é que mesmo as pessoas que não sentem dor tinham a mesma atividade cerebral que as outras, colocando a questão se a "matriz da dor" representa realmente a sensação de dor.

"Estes resultados sugerem que este padrão não é realmente uma 'resposta à dor', mas uma resposta ao estímulo independentemente de a pessoa sentir dor", disse Tim Salomons um dos autores do estudo, ao jornal Independent.

Esta investigação pode ter vindo provar que a teoria estava errada, mas não esclarece como de facto sentimos a dor.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.