sicnot

Perfil

Mundo

Unicef alerta que sismo no Equador deixou 120 mil crianças sem escola

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou hoje que o sismo que atingiu o Equador, no dia 16 de abril, destruiu 280 escolas e deixou 120.000 crianças sem acesso a educação.

A Unicef está a dar apoio ao Governo do Equador para que os alunos das zonas mais afetadas, cerca de 20.000, possam ter aulas em tendas.

A agência da ONU calculou que são necessários mais de 23 milhões de dólares (20,3 milhões de euros) para fazer frente às necessidades das crianças, incluindo fornecimento de água potável, saneamento, educação, saúde e proteção para os próximos meses.

"A escola é um salva-vidas para as crianças que passaram pelo trauma e destruição", afirmou o representante da Unicef no Equador, Grant Leaity, salientando que cria uma rotina diária e um sentido de futuro para a sua recuperação psicológica.

O coordenador humanitário da ONU no Equador, Diego Zorrilla, disse hoje que se trata do maior desastre na região desde o sismo no Haiti, em 2010.

O sismo de 16 de abril no Equador provocou 655 mortos, 41 desaparecidos e milhares de feridos e desalojados.

A ONU espera conseguir 72,7 milhões de dólares (64,3 milhões de euros) de ajuda internacional para ajudar 350 mil pessoas durante os próximos três meses.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55

    Football Leaks

    Com o escândalo dos agentes de futebol a dar que falar, o Expresso revela este sábado os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa. O nome da empresa de que é administrador, a Energy Soccer, surge na investigação em transferências de jogadores que envolvem o Futebol Clube do Porto num conflito de interesses.

  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10