sicnot

Perfil

Mundo

Empresa elétrica estatal corta a luz ao parlamento venezuelano

A empresa elétrica estatal suspendeu hoje o fornecimento elétrico ao parlamento, horas depois de o Presidente Nicolás Maduro acusar os parlamentares de sabotar a sua gestão e anunciar que suspenderia a luz nas horas de racionamento elétrico.

© Handout . / Reuters

A suspensão foi confirmada pelo deputado Jesus Yánez, que acusou o chefe de Estado de ter declarado a guerra ao parlamento, onde a oposição é a maioria.

"Se o ataque é contra a Assembleia Nacional, que culpa têm os setores circundantes do parlamento? Porque os próprios vizinhos que trabalham e vivem nas proximidades se têm queixado que lhes tiraram a luz", disse o deputado, aos jornalistas.

A suspensão afeta ainda a sede do Parlamento Latino-americano e a redação do diário El Impulso.

O presidente do parlamento, Henry Ramos Allup, reagiu à suspensão e anunciou que o parlamento continuará a legislar, mesmo sem serviço elétrico.

"Continuaremos a trabalhar em prol do povo venezuelano. Onde devem cortar a luz é em Miraflores [palácio presidencial] e no Supremo Tribunal de Justiça, para que não continuem a destruir a Venezuela", escreveu na sua conta do Twitter.

Segundo Henry Ramos Allup, "aquando do Presidente Guzmán Blanco não havia eletricidade nem no Palácio Federal Legislativo e o parlamento sessionava".

Militar, advogado e político, António Guzmán Blanco presidiu a Venezuela em três oportunidades, de 1870 a 1877, de 1879 a 1884 e de 1886 a 1888.

A 25 de abril passado, a Venezuela implementou um novo plano de racionamento de energia elétrica, que passa também pelo corte de fornecimento doméstico, durante quatro horas diárias, ao longo de 40 dias, na sequência da seca provocado pelo fenómeno meteorológico El Niño.

O novo plano de racionamento poderá prolongar-se até o nível da principal barragem do país (El Guri) recuperar ou até começar a época das chuvas (finais de maio).

Um dia depois, o Presidente Nicolás Maduro anunciou que a paralisação das atividades dos serviços públicos do país às quartas, quintas e sextas-feiras, durante pelo menos duas semanas, para poupar energia elétrica.

A cidade de Caracas foi excluída do novo racionamento de eletricidade, por ser a sede dos órgãos de poder públicos.

Em março, Nicolas Maduro decretou dias feriados o período entre 19 e 27 de março, coincidindo com a época da Páscoa.

Todas estas medidas visam poupar energia e água.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.