sicnot

Perfil

Mundo

Papa pede mais empatia social para pacientes de doenças raras

O papa defendeu hoje mais empatia social para os pacientes de doenças raras, aos quais "muitas vezes não se dá atenção", e também mais investigação sem esquecer as questões éticas.

© Alessandro Bianchi / Reuters

Francisco intervinha numa conferência, no Vaticano, sobre medicina regenerativa e na qual participaram dezenas de peritos que - na opinião do papa - procuram terapias sem "ignorar as questões éticas, antropológicas, sociais e culturais".

"O problema da acessibilidade aos medicamentos" de quem sofre de patologias raras é complexo, por serem doentes "aos quais muitas vezes não se dá atenção suficiente por não ser evidente um retorno económico consistente nos investimentos realizados em seu favor", afirmou.

O papa sublinhou a importância "de sensibilizar" a sociedade, uma vez que "tem uma importância fundamental promover o crescimento do nível de empatia para que ninguém fique indiferente a pedidos de ajuda do próximo, quando sofre de uma doença rara".

"Sabemos que, às vezes, não é possível encontrar soluções rápidas para doenças complexas, mas sempre se pode manifestar solicitude a estas pessoas, que frequentemente se sentem abandonadas. A sensibilidade humana devia ser universal", considerou.

Jorge Bergoglio destacou também a palavra 'investigação' e pediu que se favoreça a educação e a maturidade intelectual dos estudantes "garantindo uma adequada formação humana e o máximo nível profissional".

O papa sublinhou a importância de que "neste horizonte pedagógico" sejam percorridos "caminhos interdisciplinares, reservando um notável espaço à preparação humana com fundamental referência à ética".

"A investigação, do ponto de vista académico e industrial, requer uma constante atenção às questões morais para que seja um instrumento que cura a vida e a dignidade da pessoa", declarou.

O papa exigiu ainda que seja "assegurado o acesso às curas" para estes pacientes.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão