sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional diz que condições de detenção no Iraque são "chocantes"

A organização não-governamental (ONG) Amnistia Internacional (AI) indicou hoje que as autoridades iraquianas mantêm sob detenção em condições extremas alegados suspeitos de terrorismo por todo o país, sem capacidade para processar os casos.

Detido vota numa prisão em Bagdade para as eleições legislativas de abril de 2014.

Detido vota numa prisão em Bagdade para as eleições legislativas de abril de 2014.

© Ahmed Jadallah / Reuters

Uma delegação do grupo de defesa dos direitos humanos, incluindo o secretário-geral da AI, Salil Shetty, visitou no sábado um centro de detenção em Amriyat al-Faluja, na zona ocidental de Bagdad.

"Visitámos um centro de detenção em Amriyat al-Faluja... onde encontrámos 700 pessoas, alegadamente suspeitos de terrorismo, confinadas há meses no local", disse Shetty, em Bagdade.

"As condições sob as quais são mantidos são chocantes, há uma pessoa por aproximadamente um metro quadrado, sem lugar para se deitar (...) as latrinas estão no mesmo espaço e eles recebem muito pouca comida", afirmou.

Donatella Rovera, assessora da AI para respostas a crises, afirmou que o centro - gerido pelas forças antiterroristas iraquianas - tem apenas quatro investigadores para analisar todos os casos.

Amriyat al-Faluja situa-se na província ocidental de Anbar, onde as forças de segurança combatem o grupo extremista Estado Islâmico (EI) desde 2014.

As operações militares levaram ao deslocamento de um elevado número de civis na províncias. Milhares de homens sunitas foram detidos sob suspeita de atividades terroristas e mantidos sem qualquer comunicação com o exterior.

"Nenhum foi formalmente acusado. Eles ficam detidos durante meses porque as autoridades locais não tem qualquer capacidade para investigar estes casos", disse Shetty.

"As próprias autoridades afirmam não saber como a maioria destas pessoas acabaram neste centro de detenção e pensam que a maior parte deles é inocente", acrescentou.

A delegação da AI indicou desconhecer a existência deste centro de detenção ou dos 700 homens ali detidos.

"É um sintoma de um problema maior porque estivemos com 700 deles, mas há muitos, muitos mais lugares destes por todo o país", declarou Shetty.

"É realmente um mau exemplo de como o sistema judiciário não funciona no país", disse.

A AI defende que o fortalecimento do sistema judiciário devia ser uma das prioridades no Iraque, onde violações diárias dos direitos humanos continuam impunes.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.