sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha quer legalizar cannabis para uso medicinal

A Alemanha quer legalizar a cannabis para fins medicinais no início do próximo ano, afirmou hoje o ministro da Saúde alemão.

© Amir Cohen / Reuters

"O nosso objetivo é que os doentes graves sejam tratados da melhor maneira possível", disse Hermann Groehe, que vai apresentar ao executivo alemão, na quarta-feira, um projeto-lei nesta matéria.

O projeto-lei alemão irá ao encontro de leis já aplicadas em outras partes do mundo que preveem o uso medicinal da cannabis para aliviar o sofrimento de doenças como cancro, glaucoma, síndrome de imunodeficiência adquirida (SIDA), hepatite C, Parkinson e outras doenças graves.

No entanto, a questão do consumo recreativo e medicinal da cannabis gera controvérsia em muitos países.

Muitas pessoas temem a vertente criminal regularmente associada ao consumo de drogas e à toxicodependência, enquanto outras vozes argumentam que o uso da cannabis pode levar à dependência de drogas mais pesadas.

O ministro da Saúde alemão reconheceu que a 'cannabis' "não é uma substância inofensiva", precisando que estará disponível em farmácias e que só poderá ser adquirida com receita médica.

Até à criação de plantações devidamente supervisionadas, a Alemanha vai importar "marijuana medicinal", acrescentou Hermann Groehe.

"Sem querer antecipar o trabalho do Bundestag (câmara baixa do Parlamento), é provável que a lei entre em vigor na primavera de 2017", referiu ainda o ministro, em declarações ao diário alemão Die Welt.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.