sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades encontram duas cabeças humanas cortadas na Cidade do México

As autoridades mexicanas descobriram duas cabeças humanas cortadas durante o fim de semana na Cidade do México.

Arquivo

Arquivo

© Edgard Garrido / Reuters

Uma das cabeças foi encontrada numa mala, no domingo, no bairro de Tepito, conhecido por ser violento, disse à AFP uma fonte do gabinete do Ministério Público. De acordo com a imprensa local, a cabeça estava acompanhada de uma mensagem semelhante à que os narcotraficantes deixam para assinalar os seus crimes.

Uma segunda cabeça foi encontrada no sábado, num saco de plástico que continha também uma mão e dois antebraços. O saco foi abandonado numa rua no bairro de Atlanta.

As autoridades, que abriram uma investigação, reafirmaram que os cartéis de droga não operam na capital.

Apesar de os tiroteios e decapitações entre gangues criminosos acontecerem habitualmente fora da capital mexicana, a cidade de 20 milhões de habitantes não está imune a este tipo de crimes.

Em maio de 2015, uma dezena de sacos contendo os restos mortais de três pessoas foram encontrados numa estação ferroviária.

Em agosto de 2013, os corpos de 13 jovens foram encontrados numa vala comum na zona montanhosa junto à capital, três meses depois do seu sequestro, durante o dia, num bar situado junto à avenida principal da cidade.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.