sicnot

Perfil

Mundo

Johnson & Johnson novamente condenada em caso de pó de talco alegadamente cancerígeno

A multinacional Johnson & Johnson foi condenada a pagar cerca de quase 50 mil euros de indemnização a uma mulher segundo a qual foi o pó de talco da marca que lhe causou cancro nos ovários.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Lucas Jackson / Reuters

Gloria Ristesund, 62 anos, diz que usou pó de talco da Johnson & Johnson durante décadas, nos seus genitais. Um júri do Estado do Missouri condenou a multinacional em cerca de 50 mil euros.

A empresa enfrenta 1200 acusações semelhantes, mas insiste que os seus produtos são seguros. Os investigadores não encontram, por sua vez, quaisquer provas da relação entre a doença e o uso de pó de talco.

Em fevereiro, a empresa pagou 65 milhões de euros num caso semelhante.

  • Os (maus) hábitos do português ao volante
    1:31

    País

    Os condutores portugueses estão a usar cada vez mais o carro e cada vez menos os transportes públicos. Um inquérito apresentado esta terça-feira pelo Automóvel Clube de Portugal (ACP) mostra que quase metade admite falar ao telemóvel enquanto conduz e cerca de um quinto já adormeceu ao volante enquanto conduzia.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • "Shutdown" nos EUA chegou ao fim
    1:05