sicnot

Perfil

Mundo

Irmã de Luaty Beirão confirma greve de fome, silêncio e regime de nudez

O ativista luso-angolano Luaty Beirão está em greve de fome, em silêncio e no regime de nudez como forma de protesto contra a transferência do local de detenção, disse hoje à agência Lusa, em Lisboa, a sua irmã.

Serena Mancini, à margem de uma sessão pública da sociedade civil portuguesa em solidariedade com os 17 ativistas detidos em Angola, disse que o irmão não queria ser transferido, uma vez que tencionava denunciar várias ilegalidades e violações dos direitos humanos na prisão onde estava detido, na comarca de Viana, em Angola.

"O meu irmão foi transferido hoje para o hospital-prisão de São Paulo (em Luanda). Ele não queria ir, queria continuar na comarca de Viana para poder denunciar certas situações ilegais que se estão a passar lá. Foi levado hoje de manhã à força, pelo que soube", contou Serena Mancini à Lusa.

"Chegou lá e começou a fazer o protesto de fome, silêncio e nudez. Recusou-se a receber a comida que um familiar lhe levou e é isso que sabemos até agora. Disseram-me que quando ele negou a comida ele estava nu, deitado na cela e sem dizer uma palavra", acrescentou.

Luaty Beirão, um dos rostos mais visíveis na contestação ao regime do presidente angolano, José Eduardo dos Santos, foi condenado a 28 de março a uma pena total de cinco anos e meio de cadeia, que começou a cumprir no mesmo dia, por decisão do tribunal, apesar dos recursos da defesa.

Ao todo, dos 17 ativistas condenados neste processo por atos preparatórios para uma rebelião e associação de malfeitores, e a cumprirem pena, 12 foram concentrados nos últimos dias - processo concluído na quarta-feira - no Hospital-Prisão de São Paulo, em Luanda.

Sobre o evento, promovido na sequência de uma petição subscrita por 239 personalidades, entre políticos, escritores, jornalistas, músicos, humoristas e historiadores, a irmã de Luaty Beirão destacou a importância da iniciativa, uma vez que chegam aos detidos através de vários relatos, permitindo-lhes "aguentar a situação".

"É muito importante ver que as pessoas continuam a apoiar a causa, continuam a aparecer nestes eventos e a falar sobre isso. É importante sentir que as pessoas se importam, que estão atentas, porque isso também é uma forma de pressionar as autoridades de Angola", sublinhou.

"Eles (os detidos) sentem isso, têm os relatos cá de fora, sabem que as pessoas estão atentas, que estão a apoiar e isso é muito importante para eles também, porque faz com que eles aguentem a situação", frisou.

Lusa

  • Luaty Beirão entra novamente em greve de fome

    Mundo

    Luaty Beirão voltou a entrar em greve de fome. O luso- angolano recusa-se a comer, a falar e a vestir-se. Está contra transferência para um hospital prisão. Um familiar diz que não aceita receber comida e está deitado no chão, totalmente nú.

  • Bernardo Silva no City? O que Pep Guardiola disse ao português na Champions
    0:34
  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28
  • "O Brasil não parou e não vai parar"
    1:33

    Mundo

    O Presidente do Brasil diz ter condições para continuar à frente do Palácio do Planalto. Num vídeo publicado no Twitter, Michel Temer garante que o país não parou, nem vai parar, mas há uma nova gravação que pode comprometer o futuro do chefe de Estado.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57