sicnot

Perfil

Mundo

Metade da produção petrolífera do Canadá afetada pelos incêndios

Metade da produção petrolífera do Canadá afetada pelos incêndios

Os incêndios em Alberta, no Canadá, já obrigaram à fuga de cem mil pessoas e provocaram a paragem de 50% da produção de petróleo do país. As chamas estão imparáveis, os próprios bombeiros admitem que podem levar meses a controlar os fogos.

  • Incêndio no Canadá pode reduzir cidade inteira a cinzas
    1:40

    Mundo

    Um incêndio em Fort McMurray, no Canadá, obrigou mais de 88 mil pessoas a abandonar as casas. Segundo as autoridades, o fogo poderá destruir a cidade inteira. As chamas estão a ser combatidas por centenas de bombeiros, com recurso a aviões e helicópteros. O perigo das chamas obrigou a ser decretado o estado de emergência.

  • Incêndio no Canadá já destruiu cerca de duas mil casas
    1:01

    Mundo

    O incêndio florestal em Fort McMurraym, no Canadá, continua fora de controlo. As chamas já destruíram cerca de duas mil casas na cidade no estado de Alberta e mais de 10 mil hectares de floresta. Todos os habitantes foram obrigados a sair das suas casas. Foi declarado o estado de Emergência em toda a província de Alberta.

  • Fogo na província de Alberta fora de controlo desde domingo
    1:53

    Mundo

    Continua sem controlo o incêndio florestal em Alberta, no Canadá. Cerca de 90 mil pessoas já abandonaram a zona e o Governo admite que tão cedo não vão poder regressar a casa. O fogo, que que deflagrou no domingo, queimou, até quinta-feira, 85 mil hectares de floresta.

  • Incêndio no Canadá leva à fuga de 88 mil pessoas
    3:07

    Mundo

    No Canadá, chamam-lhe já a "besta", ao incêndio que devastou a cidade de Fort McMurray e obrigou à fuga de 88 mil pessoas. O tamanho da área ardida é equivalente a quinze vezes a cidade de Lisboa. Entre os fugitivos, também há portugueses que já se encontram em segurança.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.