sicnot

Perfil

Mundo

Família de Luaty Beirão garante que ativista mantém protesto na cadeia

A mulher de Luaty Beirão garantiu hoje à Lusa que o 'rapper' luso-angolano mantém-se em protesto, semi-nu na cela, exigindo o regresso à cadeia de Viana, arredores de Luanda, sendo alimentado apenas com comida fornecida por familiares.

A Lusa noticiou hoje que o ativista, um dos 17 angolanos condenados a penas de prisão de até oito anos e meio por atos preparatórios para uma rebelião e associação de malfeitores, voltou a alimentar-se e a receber visitas no sábado, segundo informação dos Serviços Penitenciários, terminando o protesto contra a sua transferência para o Hospital-Prisão de São Paulo, na quarta-feira.

Contudo, Mónica Almeida explicou que Luaty Beirão mantém esse protesto, que inclui não aceitar comida que não seja dada em mãos por um familiar, permanecendo na sua cela, na mesma condição em que foi transportado quarta-feira e deixado. Ou seja, em 'boxers' e a dormir no chão da cela.

"Ele exige voltar para a cadeia de Viana, para as condições que tinha antes, e não quer ter qualquer tratamento de exceção. Transportaram-no em 'boxers', à frente de todos, então ele permanece em 'boxers', como o deixaram [semi-nu não pode sair da cela para se alimentar]. Ele não comia porque não recebia comida. Para receber tem de ser das nossas mãos, e como está deitado na caserna eu tenho de entrar para a entregar", explicou em entrevista à Lusa a esposa, Mónica Almeida, que visitou Luaty Beirão na cadeia de São Paulo no sábado.

Lusa

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.