sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan diz à UE que Turquia não recebe ordens de ninguém

O Presidente turco afirmou hoje que a Turquia "não receberá ordens de ninguém", num momento de tensão com Bruxelas sobre o acordo de acolhimento de refugiados e as exigências europeias para isentar de visto os cidadãos turcos.

© Umit Bektas / Reuters

"Impuseram-nos 72 condições para eliminar os vistos. Agora, faltam cinco e uma delas é terrível: trata-se de mudar a lei antiterrorista. Desde quando é que se viu a Turquia a receber ordens? Isso não vai acontecer", disse o chefe de Estado, Recep Tayyip Erdogan, em Ancara, num discurso proferido perante um grupo de empresários turcos.

Erdogan voltou a recriminar Bruxelas por ter permitido (em março) a instalação de "lojas terroristas", referindo-se a tendas informativas do movimento esquerdista curdo, próximo da guerrilha do Partido de Trabalhadores do Curdistão (PKK).

O governante recordou também que a abolição dos vistos não é um assunto recente, mas sim uma questão em negociação há anos, e que o compromisso da União Europeia (UE) era, desde há muito tempo, que a medida iria ser efetiva em outubro de 2016, se bem que nos últimos meses se tentou antecipá-la para junho.

"Espero que cumpram a palavra dada e que este assunto se conclua o mais tardar em outubro", disse o Presidente turco.

Por outro lado, Erdogan exigiu que a UE seja "mais justa" com o seu país.

"Disseram-nos que nos iam dar 3.000 milhões de euros pelos refugiados. Não nos deram nada. Vêm ver os acampamentos para refugiados, mas pedem-nos que lhes mandemos projetos. Estão a gozar connosco? Não mandaremos projetos. Nós já construímos estes acampamentos", frisou.

"É como aproveitarem-se da generosidade de uma nação. Não vamos permitir que o façam connosco", concluiu Erdogan.

A Turquia e a UE assinaram um polémico acordo prevendo a devolução de refugiados e imigrantes de cinco ilhas gregas à Turquia e o envio da mesma quantidade de sírios para a Europa de forma ordenada.

Em troca, a Turquia deve receber pelo menos 3.000 milhões de euros, que deverá investir na assistência aos mais de 2,5 milhões de refugiados, a grande maioria sírios, que já alberga.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.