sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan diz à UE que Turquia não recebe ordens de ninguém

O Presidente turco afirmou hoje que a Turquia "não receberá ordens de ninguém", num momento de tensão com Bruxelas sobre o acordo de acolhimento de refugiados e as exigências europeias para isentar de visto os cidadãos turcos.

© Umit Bektas / Reuters

"Impuseram-nos 72 condições para eliminar os vistos. Agora, faltam cinco e uma delas é terrível: trata-se de mudar a lei antiterrorista. Desde quando é que se viu a Turquia a receber ordens? Isso não vai acontecer", disse o chefe de Estado, Recep Tayyip Erdogan, em Ancara, num discurso proferido perante um grupo de empresários turcos.

Erdogan voltou a recriminar Bruxelas por ter permitido (em março) a instalação de "lojas terroristas", referindo-se a tendas informativas do movimento esquerdista curdo, próximo da guerrilha do Partido de Trabalhadores do Curdistão (PKK).

O governante recordou também que a abolição dos vistos não é um assunto recente, mas sim uma questão em negociação há anos, e que o compromisso da União Europeia (UE) era, desde há muito tempo, que a medida iria ser efetiva em outubro de 2016, se bem que nos últimos meses se tentou antecipá-la para junho.

"Espero que cumpram a palavra dada e que este assunto se conclua o mais tardar em outubro", disse o Presidente turco.

Por outro lado, Erdogan exigiu que a UE seja "mais justa" com o seu país.

"Disseram-nos que nos iam dar 3.000 milhões de euros pelos refugiados. Não nos deram nada. Vêm ver os acampamentos para refugiados, mas pedem-nos que lhes mandemos projetos. Estão a gozar connosco? Não mandaremos projetos. Nós já construímos estes acampamentos", frisou.

"É como aproveitarem-se da generosidade de uma nação. Não vamos permitir que o façam connosco", concluiu Erdogan.

A Turquia e a UE assinaram um polémico acordo prevendo a devolução de refugiados e imigrantes de cinco ilhas gregas à Turquia e o envio da mesma quantidade de sírios para a Europa de forma ordenada.

Em troca, a Turquia deve receber pelo menos 3.000 milhões de euros, que deverá investir na assistência aos mais de 2,5 milhões de refugiados, a grande maioria sírios, que já alberga.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.