sicnot

Perfil

Mundo

Nove nepaleses alcançaram o topo do Evereste

Nove nepaleses 'sherpas' alcançaram hoje o cume do Monte Evereste, depois de uma série de catástrofes que impediram as subidas ao ponto mais alto da Terra nos últimos anos, informou a agência France-Presse.

© Navesh Chitrakar / Reuters

"Uma equipa de nove nepaleses configurou um itinerário e chegaram ao topo do Evereste", disse o responsável do departamento geral do turismo do Nepal, Sudarshan Prasad Dhakal.

"Abre portas a outros alpinistas alcançarem igualmente o topo. São muito boas notícias após dois anos de desastres e mostra que o caminho para o Evereste é seguro", acrescentou.

A equipa alcançou o cume, que se situa a 8.848 metros de altitude e aproveitou para fixar cordas destinadas a montanhistas estrangeiros que vão igualmente tentar a escalada esta semana.

Depois de um sismo de magnitude de 7,8, no ano passado, ter provocado a morte de 9.000 pessoas, entre os quais 18 montanhistas, centenas de pessoas abandonaram a intenção de chegar ao topo.

Em 2014, uma avalancha causou 16 mortos nas encostas do Evereste, levando à suspensão das escaladas.

No mesmo ano, uma única pessoa, o chinês Wang Jing, conseguiu chegar ao topo do monte, mas utilizando um helicóptero para transportar o equipamento a um acampamento na subida.

Em 2013, europeus e 'sherpas' envolveram-se em escaramuças durante a subida, o que desencorajou alguns montanhistas a deslocarem-se ao Evereste.

O alpinista sul-africano Lysle Turner, que estava no Evereste aquando do sismo, disse sentir-se bem em voltar ao topo este ano.

"Nos últimos dois anos houve muitos desastres, mas penso que este vai ser um ano fantástico," declarou Lysle Turner.

As escaladas ao Evereste acontecem entre meados de abril e finais de maio, quando os ventos são moderados e antes das monções que cobrem a região de neve.

As atividades de montanha e de subida ao Evereste são uma importante fonte de rendimentos para o Nepal, mas o sismo do ano passado chegou a ameaçar o futuro desta indústria.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.