sicnot

Perfil

Mundo

Coluna humanitária impedida de entrar na cidade sitiada de Daraya na Síria

Uma coluna de ajuda humanitária foi hoje impedida de entrar em Daraya, cidade controlada pelas forças rebeldes a sudoeste da capital síria, Damasco, que está cercada pelo exército sírio, divulgou o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR).

© Stringer . / Reuters

"Infelizmente, a nossa coluna de ajuda em colaboração com as Nações Unidas e o Crescente Vermelho Árabe Sírio (SARC, organização federada com a Cruz Vermelha) viu negada a entrada em Daraya, apesar de uma autorização prévia de todas as partes", escreveu o CICR na rede social Twitter.

"Insistimos com as autoridades responsáveis para que nos autorizem o acesso a Daraya para que possamos regressar com os alimentos e medicamentos que são desesperadamente necessários", acrescentou a organização, na mesma mensagem.

Horas antes desta publicação no Twitter, o Comité Internacional da Cruz Vermelha tinha anunciado que a cidade sitiada de Daraya ia receber a primeira ajuda humanitária em quatro anos.

"Esta é a primeira coluna humanitária para esta cidade nos subúrbios de Damasco desde que começou o cerco em novembro de 2012", disse então o porta-voz da Cruz Vermelha, Pawel Krzysiek.

Segundo a informação divulgada, cinco camiões organizados pelo Comité Internacional da Cruz Vermelha, pelas Nações Unidas e pelo Crescente Vermelho Árabe Sírio ia entregar leite infantil, medicamentos e artigos escolares.

A representante do CICR na Síria, Marianne Gasser, que integrava a coluna humanitária, descreveu a recusa de acesso como trágico.

"As comunidades de Daraya têm necessidade de tudo, e é trágico que até os bens básicos que estávamos a transportar estão a ser atrasados desnecessariamente", disse a representante.

"Daraya tem sido um local de combates implacáveis durante mais de três anos e meio, e sabemos que a situação é desesperada", afirmou Marianne Gasser.

Antes do início da guerra na Síria, a população de Daraya rondava os 80 mil habitantes. Ao longo dos últimos cincos anos, a população caiu em quase 90% e as pessoas que ainda permanecem na cidade sofrem de grandes carências e de subnutrição.

As Nações Unidas afirmam que mais de 486 mil pessoas vivem em zonas sitiadas na Síria, mais de metade em áreas cercadas pelas forças do regime sírio.

O conflito sírio já matou mais de 270 mil pessoas e fez milhões de deslocados desde o seu início em março de 2011.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.