sicnot

Perfil

Mundo

Mais de dez mil pessoas continuam deslocadas no Japão devido aos sismos de abril

Mais de dez mil pessoas continuam deslocadas no sudoeste do Japão por causa dos sismos registados na região há um mês, revelou hoje a agência de notícias Kyodo.

© KYODO Kyodo / Reuters

A 14 e 16 de abril, terramotos com magnitudes de 6,5 e 7,5 na escala de Richter abalaram o sudoeste do Japão, deixando 49 mortos e um desparecido. Cerca de vinte mil pessoas foram na altura retiradas dos locais onde viviam e dez mil continuam em refúgios e instalações provisórias, segundo a Kyodo.

Os dois sismos e suas 1400 réplicas provocaram danos materiais em mais de 82 mil edifícios.

O Governo japonês anunciou 778 mil milhões de ienes (cerca de 6.282 milhões de euros) para financiar a reconstrução da região.

Os sismos paralisaram durante vários dias a produção em muitas fábricas, incluindo algumas da Toyota, Honda e Sony.

Os prejuízos no setor agrícola estão estimados em 135.800 milhões de ienes (1,12 milhões de euros), segundo as autoridades locais.

Também 173 escolas estiveram fechadas durante quase um mês e só reabriram esta semana.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.