sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Venezuela ordena detenção de proprietários de fábricas paradas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou hoje às autoridades que assumam o controlo de fábricas que pararam de produzir e detenham os proprietários, um dia depois de declarar o estado de emergência económica no país.

© Handout . / Reuters

"Temos que tomar todas as medidas para recuperar a capacidade produtiva, que está a ser paralisada pela burguesia", disse Maduro numa manifestação em Caracas.

"Quem quiser parar (a produção) para boicotar o país, deve sair, e aqueles que assim o fizerem devem ser algemados e enviados para a penitenciária geral venezuelana", disse.

Nicolás Maduro anunciou também a realização de exercícios do exército para responder a qualquer cenário de ameaça externa.

Entretanto, a oposição venezuelana advertiu contra o "risco de explosão" no país, caso não conseguisse organizar um referendo para revogar o mandato presidencial.

"Se fecharem a via democrática, não sabemos o que se poderá passar neste país. A Venezuela é uma bomba que pode explodir a qualquer momento", declarou o líder da oposição Henrique Capriles, apelando para "a mobilização popular" para conseguir o afastamento de Maduro.

Capriles falava perante milhares de pessoas concentradas na zona leste de Caracas, na sequência de um apelo da coligação da oposição Mesa para a Unidade Democrática (MUD), maioritária no parlamento.

O estado de exceção e emergência económica autoriza a apropriação pelo governo dos bens do setor privado para garantir o abastecimento de produtos básicos, o que abre - na opinião dos opositores - caminho a novas expropriações.

A Venezuela, cujas reservas de petróleo são das maiores no mundo, foi atingida pela queda das cotações, através das quais garante 96% das suas divisas.

Em 2015 e pelo segundo ano consecutivo, o país registou uma subida de 180,9% dos preços e uma descida do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,7%.

Além da crise económica, a Venezuela vive uma crise política entre um governo 'chavista' (do nome do antigo presidente Hugo Chávez, 1999-2013) e um parlamento dominado pela oposição.

A crise agravou-se depois de a oposição ter conseguido, no final de maio, 1,8 milhões de assinaturas a favor do referendo, que quer realizar antes do fim do ano, para afastar Maduro.

Se o referendo decorrer antes de 10 de janeiro próximo e se o "sim" vencer, teriam que ser organizadas novas eleições.

Mas a partir de 10 de janeiro, qualquer referendo só levará a uma solução, a substituição de Maduro pelo vice-presidente Aristobulo Isturiz, do mesmo partido.

De acordo com uma sondagem recente, 66% dos venezuelanos querem que Maduro, eleito em 2013 para um mandato de seis anos, abandone o cargo e que se realizem novas eleições.

Lusa

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC