sicnot

Perfil

Mundo

Vice-Presidente da Venezuela diz que não haverá referendo para afastar Nicólas Maduro

O vice-presidente da Venezuela, Aristóbulo Isturiz, afirmou hoje que não haverá um referendo para afastar o Presidente, Nicolás Maduro, como exige a oposição.

© Handout . / Reuters

"Maduro não vai deixar o poder devido a um referendo, porque não haverá referendo (...). Eles [os responsáveis da oposição] sabem que não vai haver referendo porque o estão a pedir muito tarde, muito mal e cometendo fraudes", declarou Isturiz num discurso público proferido em Caracas.

A Venezuela atravessa uma grave crise política entre o governo 'chavista' (do nome do antigo presidente Hugo Chávez, 1999-2013) e o parlamento dominado pela oposição.

A crise agravou-se depois de a oposição ter conseguido, no final de maio, 1,8 milhões de assinaturas a favor da realização de um referendo, que quer realizar antes do final do ano, para afastar Maduro, que ocupa a presidência do país.

Se o referendo decorrer antes de 10 de janeiro próximo e se o "sim" vencer, teriam que ser organizadas novas eleições.

Mas a partir de 10 de janeiro, qualquer referendo só levará a uma solução, a substituição de Maduro por Aristóbulo Isturiz, do mesmo partido.

De acordo com uma sondagem recente, 66% dos venezuelanos querem que Maduro, eleito em 2013 para um mandato de seis anos, abandone o cargo e que se realizem novas eleições.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.