sicnot

Perfil

Mundo

HRW critica limitações a manifestantes em Hong Kong durante visita de dirigente chinês

A associação de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch disse hoje que as autoridades de Hong Kong "limitaram fortemente" a oportunidade da população expressar as suas críticas durante a visita do "número três" do regime chinês.

© Paul Yeung / Reuters

A organização disse também que as autoridades locais deviam desafiar Zhang Dejiang a "assumir compromissos concretos para respeitar a autonomia de Hong Kong em matéria de direitos humanos e democracia".

Zhang Dejiang, que preside à Assembleia Nacional Popular, o Parlamento chinês, chegou na terça-feira a Hong Kong para uma visita de três dias, naquela que é a primeira deslocação de um importante responsável chinês ao território desde os protestos pró-democracia que paralisaram partes da cidade em 2014.

Zhang falou hoje de manhã num fórum económico e vai reunir-se com 10 deputados esta noite, incluindo quatro membros do campo pró-democrata.

Várias organizações pró-democracia convocaram uma marcha para hoje contra a crescente influência de Pequim, mas durante a manhã cerca de 100 pessoas já se manifestaram para pedir o "fim da ditadura", eleições livres e a libertação de Liu Xiaobo, o Nobel da paz chinês preso no interior da China.

Grupos rivais de manifestantes pró-China agitaram bandeiras nacionais e gritaram palavras de ordem.

O número de manifestantes era bastante inferior ao dos polícias destacados para a segurança da visita oficial.

Na terça-feira, a polícia deteve sete membros do partido pró-democracia Liga dos Sociais Democratas por colocarem faixas de protesto em espaços públicos, incluindo colinas e viadutos.

As estradas junto ao hotel onde Zhang está hospedado e o centro de convenções que acolhe a conferência económica foram isoladas por barricadas e os manifestantes encaminhados para áreas assinaladas, longe da vista.

Três pessoas, incluindo Nathan Law, do novo partido político Demosito, foram imobilizadas pela polícia, quando lançaram um protesto em Wan Chai, à passagem da comitiva de Zhang a caminho do Centro de Convenções e Exibições de Hong Kong (HKCEC, na sigla inglesa).

A visita de Zhang Dejiang ocorre numa altura em que aumenta a preocupação na região de que as liberdades possam estar em risco e em que a falta de reformas políticas gerou novos grupos que defendem a ideia da independência da cidade, um movimento condenado pelas autoridades em Hong Kong e Pequim.

Na terça-feira, à chegada a Hong Kong, Zhang prometeu ouvir as reivindicações políticas dos vários quadrantes da sociedade.

Lusa

  • As alterações na carta de condução que ajudam a poupar
    6:16
  • Obama diz que não fica em silêncio se os valores do país forem ameaçados
    2:26
  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Nevão provocou corte de energia no centro dos EUA
    1:37

    Mundo

    Uma tempestade de neve no centro dos Estados Unidos da América provocou cortes no abastecimento de eletricidade, atrasos em voos e dificuldades na circulação rodoviária. Em Espanha, a descida das temperaturas levou à emissão de avisos em 30 províncias de norte a sul do país e deixou 27.700 alunos sem aulas em Valência.

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..