sicnot

Perfil

Mundo

Israel entrega ao Egipto relíquias faraónicas que entraram no país ilegalmente

O Ministério das Relações Exteriores de Israel entregou ao embaixador egípcio em Telavive duas relíquias antigas que remontam aos tempos faraónicos e que entraram ilegalmente no país, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores refere que se trata de duas tampas de sarcófagos egípcios, uma datada entre os séculos X e XVII antes de Cristo (a.C.) e a outra entre os séculos CVI e XIV a.C..

Estas antiguidades foram roubadas do Egipto e introduzidas clandestinamente num país terceiro antes de chegarem a Israel, onde foram confiscadas pela Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA).

O diretor-geral do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Dore Ouro, manifestou confiança de que a entrega dos objetos antigos impulsione a cooperação bilateral no domínio do património histórico, bem como em outros campos de interesses comum para o benefício de ambos os países.

Por sua vez, o embaixador do Egipto em Telavive, Hazem Khairat, destacou os esforços feitos pelas autoridades de Israel em devolver os objetos ao local de origem, esperando que seja transferido o resto das antiguidades egípcias introduzidas ilegalmente em Israel.

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida