sicnot

Perfil

Mundo

Obama recusa pedir desculpa por lançamento de bomba atómica em Hiroshima

O Presidente norte-americano não vai pedir desculpa pelo ataque nuclear em Hiroshima, durante a sua visita à cidade esta semana, disse Barack Obama numa entrevista à emissora pública japonesa NHK.

Presidente dos EUA, Barack Obama

Presidente dos EUA, Barack Obama

© Jim Young / Reuters


Questionado sobre se um pedido de desculpas será incluído no seu discurso, o chefe de Estado disse: "Não, porque acho que é importante reconhecer que no meio da guerra os líderes tomam todo o tipo de decisões. É o trabalho dos historiados fazer perguntas e examiná-las, mas como alguém que ocupa esse lugar há sete anos e meio, sei que todos líderes tomam decisões muito difíceis, particularmente durante tempos de guerra".

Obama será o primeiro Presidente norte-americano no ativo a visitar Hiroshima, onde foi lançada a primeira bomba atómica a 06 de agosto de 1945, matando cerca de 140 mil pessoas.

Dezenas de milhares morreram na explosão e muitos outros mais tarde devido a ferimentos e doenças causadas pela radiação.

A cidade de Nagasaki foi atingida por uma segunda bomba três dias depois, matando 74 mil pessoas.

LusaPresidente dos E

  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas. 

  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".