sicnot

Perfil

Mundo

Manifestantes belgas dispersados com canhões de água

A polícia belga disparou hoje canhões de água sobre manifestantes na sequência de confrontos com a polícia, no final de uma marcha sindical contra o aumento do horário laboral no país, de acordo com a imprensa local.

© Eric Vidal / Reuters

As autoridades dispersaram um grupo de uma centena de pessoas que, de cara tapada, se envolveu em confrontos com a polícia, de que resultaram dois agentes e alguns manifestantes feridos sem gravidade.

Os confrontos ocorreram no final de uma marcha que, segundo a polícia federal juntou 37.500 pessoas, segundo os sindicatos 50.000 e segundo a polícia local 60.000, em protesto contra medidas de austeridade do governo de Charles Michel -- especialmente a proposta de aumento do horário de trabalho para as 45 horas semanais, a chamada lei Peeters.

A manifestação partiu pelas 11:30 (10:30 de Lisboa) da Gare do Nord, na direção da do Midi, onde ocorreram os distúrbios.

Segundo dados dos sindicatos, a manifestação de hoje contou com metade da adesão da de outubro de 2015, em que participaram 100 mil pessoas.


Lusa

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.