sicnot

Perfil

Mundo

Novas buscas à Google em França

​Esta terça-feira, investigadores franceses invadiram a Google - que afirma estar a cumprir integralmente a legislação francesa - em Paris, a fim de investigar se realmente existem ou não fugas fiscais.

JEREMY LEMPIN / EPA

Várias multinacionais instalam as suas sedes noutros países para minimizar impostos, razão pela qual França, Grâ-Bretanha e outros países têm procurado garantir que as taxas sejam pagas localmente e não noutros países.

A Google tem sede em Dublin, onde os impostos são mais baixos do que no resto da Europa.

Na investigação em Paris participaram peritos financeiros e especialistas franceses contra a corrupção e fraude fiscal, acompanhados por 25 especialistas da área.

"A investigação tem como objetivo verificar se a Google Irlandesa tem uma base permanente em França e se, ao não declarar partes de atividades realizadas em França, não cumpre as suas obrigações fiscais, inclusive no imposto sobre as sociedades e do imposto sobre valor agregado", disse em declarações o procurador.

"Estamos a cooperar com as autoridades a fim de responder às suas questões", disse Al Verney, porta-voz da Google. Eric Schmidt, presidente executivo da Google, recusou-se a comentar a situação numa conferência em Amsterdão.

A França considera que a Google tem em dívida cerca de 1.6 mil milhões de euros por pagar.

  • Condutora que atropelou peregrinos "internada compulsivamente"

    País

    A condutora do veículo que hoje atropelou seis peregrinos na Estrada Nacional 365, em Alcanena, apresentava problemas do foro psicológico e teve de ser internada compulsivamente. O atropelamento esta madrugada fez uma vítima mortal, um homem, e feriu cinco pessoas, uma das quais em estado grave.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23