sicnot

Perfil

Mundo

Sete militares ucranianos morrem em confrontos nas regiões pró-russas do Leste

Sete militares ucranianos morreram em confrontos nas regiões rebeldes pró-russas no Leste do país nas últimas 24 horas, o maior número de baixas no exército ucraniano num só dia no último ano.

"Só nas últimas 24 horas, sete militares morreram e nove outros ficaram feridos em operações armadas na zona do Donbas [regiões de Donetsk e Lugansk, autoproclamadas independentes pelos seus líderes pró-russos)", informou o chefe do Conselho Nacional Ucraniano de Segurança e Defesa, Alexándr Turchínov.

Na opinião de Turchínov, "a responsabilidade por esta provocação cabe à liderança político-militar da Rússia, que sistematicamente torpedeia qualquer via pacífica para resolver o conflito e libertar os territórios ocupados".

O mesmo responsável advertiu que a Rússia está a preparar a reativação da atividade militar na região, com a concentração de forças ao longo da linha de demarcação e em violação dos acordos de paz de Minsk.

Segundo os últimos dados das Nações Unidas (ONU), mais de nove mil pessoas, entre combatentes e civis, foram mortas no Leste da Ucrânia nos pouco mais de dois anos desde o início do conflito.

  • Encontrada criança britânica desaparecida na praia da Luz

    País

    Foi encontrada a criança britânica que estava desaparecida desde o início da tarde, avançaram as autoridades. A Polícia Marítima tinha sido informada do desaparecimento de um rapaz de 8 anos, de nacionalidade inglesa, tendo efetuado diligências nas proximidades da praia algarvia.

    Em atualização

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.