sicnot

Perfil

Mundo

Brasil cria comité para unificar combate ao crime nas fronteiras

O governo interino do Brasil anunciou, na quarta-feira, a criação de um comité composto por vários organismos estatais para unificar as ações de combate ao crime nas fronteiras, especialmente o tráfico de droga e o contrabando.

© Adriano Machado / Reuters

O comité reunirá os ministérios da Defesa, Justiça e Cidadania e Relações Exteriores, a Polícia Federal, a Receita Federal, a Agência Brasileira de Inteligência e as Forças Armadas.

"A ideia é unificar o comando das operações já previstas, otimizando recursos e fazendo da inteligência um trunfo para surpreender criminosos que atuam nos cerca de 17 mil quilómetros de fronteiras secas. As marítimas e fluviais também receberão atenção", informou a Presidência em comunicado.

Segundo o ministro das Relações Exteriores, José Serra, citado na nota, estão em causa três problemas: contrabando de armas, tráfico de drogas e de mercadorias.

De acordo com o chefe da diplomacia brasileira, o país perde, pelo menos, 20 milhões de reais (cinco milhões de euros) em receitas por ano devido ao contrabando.

José Serra aproveitou a sua recente viagem à Argentina para acordar com o presidente Mauricio Macri a realização de um encontro com vários países da região sobre estes problemas nas fronteiras.

Para melhorar a vigilância, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou o aluguer de um satélite israelita que, do espaço, permite a aproximação da imagem como se as ações estivessem a ser vistas a apenas cinco metros do local, segundo o comunicado.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.