sicnot

Perfil

Mundo

Secretário-geral da ONU apela ao diálogo com a Coreia do Norte

O secretário-geral da ONU apelou hoje à retoma das negociações com a Coreia do Norte, durante uma visita à Coreia do Sul que tem levantado dúvidas sobre as suas ambições presidenciais no país.

Ban Ki-moon, secretário geral da ONU.

Ban Ki-moon, secretário geral da ONU.

© Denis Balibouse / Reuters

"Temos de encontrar o caminho para o diálogo", disse Ban Ki-moon, durante um fórum de segurança na ilha de Jeju.

A tensão entre as Coreias tem vindo a crescer desde que Pyongyang realizou o seu quarto teste nuclear em janeiro.

Nas últimas semanas, o Norte fez várias propostas para diálogo militar, mas o Sul rejeitou as ofertas, considerando que não são sinceras.

A atual administração da Coreia do Sul tem sido firme na posição de que negociações só podem ocorrer se o Norte se comprometer com uma desnuclearização.

"O aumento das tensões na península coreana pode lançar uma sombra em todo nordeste da Ásia e mais além", alertou Ban.

"Acolho com agrado todos os esforços para avançarmos. E estou pessoalmente pronto para contribuir de qualquer forma que seja útil", disse.

Em declarações aos jornalistas em Jeju, Ban disse que a "janela para o diálogo de alto nível" foi deixada aberta.

"Sou o único que tem mantido um canal de diálogo com Pyongyang", acrescentou.

Uma visita da Coreia do Norte daria a Ban Ki-moon uma plataforma de grande visibilidade, caso decida participar na corrida à Casa Azul, para as presidenciais sul-coreanas em 2017, depois de terminar o seu mandato na ONU, este ano.

Ban Ki-moon não confirmou a intenção de concorrer, mas ofereceu, na quarta-feira, o que foi entendido como uma pista nesse sentido, ao dizer que vai refletir o que deve fazer "como cidadão sul-coreano" após deixar a ONU.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.