sicnot

Perfil

Mundo

Zoo defende morte de gorila após queda de menino

O diretor do Jardim Zoológico de Cincinnati, nos Estados Unidos, defende a decisão de matar um gorila, depois de um menino de 4 anos ter caído, no sábado, na fossa que separa o público do espaço onde se encontrava o animal. A morte de “Harambe” está a ser muito criticada, sobretudo por tratar-se de um elemento de uma espécie ameaçada.

reuters

reuters

reuters

reuters

O diretor do zoo, Thane Maynard, reitera que a decisão de abater o gorila - de nome "Harambe" - foi a correta, uma vez que o animal estava agitado e poderia ter matado a criança.

"Olhando para trás, teríamos tomado a mesma decisão", afirmou.

O menino, de 4 anos, saltou o muro de um metro que o separava do espaço onde estava o gorila e entrou dentro do recinto. O gorila agarrou por alguns momentos na criança pelo tornozelo, de forma bastante agitada, o que levou o zoo a abater o animal. O menino está a salvo, mas o acidente está a provocar um rol de reações.

Mais de 200 mil pessoas já assinaram uma petição no site Change.org, em protesto contra o abate do animal. Exigem "Justiça para Harambe" e apelam às autoridades policiais para que responsabilizem os pais da criança.

Com velas acesas e cartazes com a mensagem "Descansa em paz", dezenas de pessoas fizeram uma vigília à porta do zoo.

"A vida da criança estava em perigo. No final do dia, a responsabilidade é dos pais, de mais ninguém", afirmou Vanessa Hammonds, uma das participantes.

A mãe da crianca identificou-se como Michelle Greg. Escreveu uma mensagem no Facebook a pedir que a não julguem porque "os acidentes acontecem".

O diretor do zoo explica que o gorila não estaria a pôr em perigo o menino, apenas a magoá-lo.

"O gorila estava agitado, claramente desorientado", disse, lamentando a morte de um "magnífico animal".

Milhares de mensagens de apoio, de todo o mundo, chegaram ao jardim zoológico.

Por outro lado, o zoo está a ser questionado sobre a segurança do muro de separação - de apenas um metro.

"As barreiras são seguras, excedem os protocolos. O problema das barreiras é que, seja ela qual for, algumas pessoas conseguem passá-las. Não, o zoo não foi negligente", declarou Thane Maynard.

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28