sicnot

Perfil

Mundo

Ataques aéreos matam 42 civis no norte da Síria

Pelo menos 42 civis foram mortos hoje no norte da Síria em consequência de bombardeamentos da força aérea síria, da aviação russa e da coligação internacional liderada pelos EUA, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH).

(Arquivo SIC)

(Arquivo SIC)

SIC

Os ataques da força aérea síria mataram 15 civis na província de Idlib e os bombardeamentos da força aérea russa e das forças do regime sírio fizeram 11 mortos na província de Alepo, de acordo com a mesma fonte, citada pela agência France Presse.

Sete das pessoas vítimas dos ataques das forças do regime viajavam num autocarro na estrada de Castello, uma via utilizada pelas forças rebeldes que controlam parte da cidade dividida de Alepo, de acordo com o diretor da OSDH, Rami Abdel Rahmane.

Seis civis foram mortos em resultado de operações levadas a cabo pela coligação internacional na localidade de Minbej (província de Alepo) e outros 10 morreram na cidade de Raqa, capital da província homónima, ambos os locais nas mãos dos 'jihadistas' do grupo extremista Estado Islâmico (EI), ainda de acordo com a OSDH.

O Centcom, o comando militar norte-americano no Médio Oriente, anunciou hoje que a coligação internacional levou a cabo 18 bombardeamentos de posições do EI em Minbej.

Na terça-feira, as Forças Democráticas Sírias (FDS), uma aliança arábio-curda apoiada pela coligação internacional, lançou uma ofensiva destinada a retomar Minbej, segundo a OSDH

A guerra na Síria fez já mais de 280 mil mortos e provocou a deslocação de vários milhões de pessoas desde 2011.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.