sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 30 mil camponeses manifestam-se na Colômbia

Mais de 30 mil camponeses protestaram hoje em diferentes regiões da Colômbia com barreiras em estradas e manifestações marcadas pela violência e confrontos com a polícia que resultaram em, pelo menos, três dezenas de feridos, segundo fontes oficiais.

© John Vizcaino / Reuters

Os manifestantes, mobilizados desde segunda-feira, reclamam medidas de apoio ao setor agrícola, muito afetado por mais de meio século de conflito armado, e denunciam os efeitos dos Tratados de Livre Comércio assinados pela Colômbia com os Estados Unidos e a Europa, que têm resultado no aumento das importações de alimentos pelo país, em detrimento da produção local.

As "concentrações, marchas e barreiras, permanentes ou ocasionais, afetam 45 municipalidades em 24 províncias", de entre as 32 com que conta a Colômbia, anunciou através de um comunicado citado pela agência France Presse, o Defensor do Povo, uma entidade pública colombiana responsável pela defesa dos direitos humanos.

No total, 14 barreiras de estradas mantinham-se a meio do dia nas regiões do oeste e centro-oeste do país, e outras 11 foram desmanteladas pela polícia. Os confrontos fizeram pelos menos 28 feridos, "21 civis e sete membros das forças de segurança", de acordo com a mesma fonte.

Várias barreiras feitas de pedras e troncos de árvore, impediam a circulação na Panamérica, uma estrada que atravessa o continente de norte a sul, constatou um fotógrafo da AFP.

Esta onda de protesto responde a um apelo da Cimeira Agrária, que reúne nomeadamente os movimentos indígenas, de trabalhadores agrícolas e de afro-descendentes, e denuncia o "desrespeito" do Governo do Presidente Juan Manuel Santos de acordos alcançados em resultado de mobilizações anteriores em 2013 e 2014 contra os Tratados de Livre Comércio (TLC).

Para além da concorrência dos produtos agrícolas de importação, os camponeses protestam também contra a pobreza e a dificuldade de acesso às terras cultiváveis, reclamando a participação nas conversações de paz que decorrem desde 2012 com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC, marxistas), a principal guerrilha do país.

O Governo qualificou a mobilização dos camponeses como "injusta" e apelou ao diálogo, através do ministro do Interior, Juan Fernando Cristo, que se deslocou hoje a La Maria, na província de Cauca (oeste), onde os manifestantes são particularmente numerosos.

Fresco na memória coletiva da Colômbia, o conflito armado resultante das insurreições campesinas nos anos 60 fez pelo menos 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e 6,8 milhões de deslocados.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.