sicnot

Perfil

Mundo

ONU põe de lado lançamentos aéreos de ajuda humanitária na Síria

As Nações Unidas recuaram hoje no plano de lançar ajuda humanitária por avião na Síria e optaram por, para já, garantir a segurança dos comboios humanitários em terra, indicou o diretor do Gabinete de Ajuda Humanitária da ONU.

Ban Ki-moon, secretário geral da ONU.

Ban Ki-moon, secretário geral da ONU.

© Denis Balibouse / Reuters

"O nosso principal foco é agora garantir a segurança dos acessos terrestres, devido aos desafios de segurança e de logística subjacentes ao lançamento aéreo de ajuda humanitária", disse Stephen O'Brien.

Na semana passada, no Conselho de Segurança, em Nova Iorque, Stephen O'Brien disse que estaria por dias a entrega de um pedido de autorização formal a Damasco para começar as operações.

No entanto, esse pedido acabou por não ser entregue, tendo, ao invés, sido solicitado a Damasco autorização para dar início às operações de segurança nos acessos terrestres para permitir a entrega de alimentos e medicamentos em 34 áreas na Síria, entre elas 15 cidades cercadas.

"Se, a dada altura, decidirmos que o acesso por estrada não está garantido, pensaremos então melhor na via aérea", sublinhou hoje Stephen O'Brien.

O governo sírio autorizou na semana passada o acesso a 23 das 34 áreas listadas pela ONU, incluindo 12 cidades sitiadas, decisão recusada pelas Nações Unidas, que argumentaram com a necessidade de se chegar a todos os locais.

Na ocasião, a ONU deu às autoridades sírias até 10 de junho, para responder, disse Linda Tom, diretora do Gabinete de Ajuda Humanitária das Nações Unidas em Damasco.

Se Damasco mantiver a decisão, as Nações Unidas irão pedir autorização para começar as operações aéreas de distribuição de ajuda humanitária a populações em risco, mas será sempre como último recurso, acrescentou Linda Tom.

Segundo dados da ONU, quase 600 mil pessoas vivem sitiadas na Síria, maioritariamente pelas forças do regime, enquanto outras cerca de quatro milhões se encontram em áreas remotas e de difícil acesso.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC