sicnot

Perfil

Mundo

Berlusconi hospitalizado para exames após sofrer insuficiência cardíaca

O ex-primeiro ministro italiano Silvio Berlusconi deu hoje entrada no hospital de San Raffaele, de Milão (norte de Itália), para submeter-se a alguns exames depois de ter sofrido uma insuficiência cardíaca há alguns dias.

reuters

Berlusconi, que irá fazer 80 anos em setembro, já tinha programado a sua hospitalização antes de sofrer esta insuficiência, segundo explicaram fontes do seu partido, Forza Itália, à imprensa italiana.

O médico pessoal do ex-Presidente, Anberto Zangrillo, assegurou que "o diagnóstico definitivo e o seu tratamento" será conhecido nos próximos dias.

Os meios de comunicação italianos explicam que, por agora, não se preveem intervenções cirúrgicas.

Berlusconi foi operado ao coração em 2006, no Heart Center de Cleveland, em Ohio, nos Estados Unidos da América.

A operação decorreu após o líder político italiano ter desmaiado e passado dois dias num hospital de Milão, depois de lhe ter sido detetada uma leve arritmia cardíaca.

Nessa ocasião foi explicado que Berlusconi tinha sido submetido a "uma intervenção de cirurgia cardíaca necessária para a correção de um transtorno do ritmo".

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.