sicnot

Perfil

Mundo

Militares e chavistas agrediram opositores junto a Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela

Militares e motociclistas armados agrediram esta quinta-feira um grupo de 60 deputados da oposição venezuelana que pretendiam exigir ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) o anúncio da data para verificação das assinaturas a favor dum referendo revogatório ao Presidente Nicolás Maduro.

Ariana Cubillos

Fontes parlamentares explicaram à Agência Lusa que os deputados encontram-se nas proximidades do CNE e que no meio da agressão, Júlio Borges, chefe da bancada da aliança opositora Mesa de Unidade Democrática, foi atacado e ferido no rosto por coletivos de chavistas armados que ali se encontravam.

Os coletivos agrediram ainda com tacos de basebol os opositores Alfonso Marquina e José Manuel Olivares, entre outros deputados.

A agressão teve lugar depois de oficiais da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar) e da Polícia Nacional Bolivariana (PBN), usando gás pimenta e bombas de gás lacrimogéneo e tiros de borracha, impedirem os deputados de entrarem nas instalações do CNE.

Pouco antes do deputado Júlio Borges, explicou aos jornalistas que acudiam "em paz" ao CNE, porque tinham "40 dias esperando" que aquele organismo "anuncie as datas para a validação das assinaturas para ativar o referendo revogatório contra o Presidente Nicolás Maduro".

"Estamos aqui em representação dos oito milhões de pessoas que votaram pela Assembleia Nacional (em dezembro de 2015) e pelos dois milhões de pessoas" que assinaram a favor do referendo, declarou, acrescentando que "não é possível que os venezuelanos estejam cercados" e não possam exigir os seus direitos.

Ensanguentado depois da agressão, Júlio Borges disse aos jornalistas que "cada golpe" fortalece a oposição, que não desistirá da vontade de mudar o Governo da Venezuela.

O parlamentar acusou o general Fábio Zavarse, chefe da GNB, de impedir a entrada dos deputados no CNE e de "empurrar os parlamentares contra os coletivos (grupos de chavistas armados)" que os golpearam "com tubos, pedras e engenhos explosivos".

Entretanto, funcionários da GNB e da PNB reprimiram hoje uma manifestação de estudantes em Caracas, que ao som de "revogatório já" pretendiam chegar ao CNE para exigir a realização do referendo.

A oposição venezuelana anunciou na segunda-feira que representantes do CNE indicaram que tinham sido validadas 1,3 milhões das 1,8 milhões de assinaturas recolhidas pela oposição para pedir a convocação de um referendo, processo para o qual era necessário menos de 200 mil assinaturas.

Ainda não houve nenhum pronunciamento oficial do CNE nesse sentido, apesar de informações não oficiais darem conta que aquele organismo emitiria um comunicado na última quarta-feira.

A oposição acusa as quatro reitoras do CNE de estarem aliadas com o regime do Presidente Nicolás Maduro e de atrasarem intencionalmente o processo para evitar que exista referendo revogatório ainda em 2016.

Se o referendo não se realizar em 2016, não será necessária a convocatória de eleições presidenciais antecipadas, prevendo a legislação que o vice-presidente Executivo dirija o país até ao final do atual mandado, que termina em 2019.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Chamar o médico a casa é um procedimento habitual para muitas famílias, mas chamar um enfermeiro a casa é menos comum. Uma portuguesa criou um sistema inovador no mundo em que pode chamar um enfermeiro a casa através da internet ou de uma aplicação para telemóvel com os mesmos preços em todo o país e sem mensalidades. Só paga o serviço que utilizar. O Contas Poupança foi conhecer os preços e comparar para ver se compensa.

  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29