sicnot

Perfil

Mundo

PM de Israel anuncia medidas "ofensivas e defensivas" após ataque em Telavive

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, anunciou hoje que tomará medidas "ofensivas e defensivas" após o ataque de quarta-feira em Telavive, que fez quatro mortos e foi alegadamente perpetrado por dois palestinianos.

© POOL New / Reuters

"Houve uma caso muito difícil aqui de assassínio a sangue frio por terroristas desumanos", disse o chefe do Governo israelita, acompanhado pelo recém-nomeado ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, e pelo titular da pasta da Segurança Pública, Gilad Erdan, no seu regresso, esta madrugada, de uma viagem oficial à Rússia, segundo os meios de comunicação social locais.

"Mantivemos uma discussão sobre uma série de medidas ofensivas e defensivas que tomaremos para atuar contra este fenómeno", afirmou, qualificando a situação como um desafio ao qual Israel responderá "firme e inteligentemente".

O primeiro-ministro israelita não revelou, porém, mais detalhes.

Pelo menos quatro pessoas morreram e seis outras ficaram feridas na noite de quarta-feira em Telavive.

Segundo a investigação preliminar da polícia israelita, os dois atacantes eram palestinianos, primos e oriundos do distrito cisjordano de Hebron, abriram fogo no conhecido "Sarona Market", um centro de entretenimento com dezenas de restaurantes e lojas, defronte do Ministério da Defesa e do Estado-Maior do Exército de Israel.

Um dos presumíveis atacantes foi detido no lugar do ataque, enquanto o outro foi baleado pela polícia durante a sua tentativa de fuga e encontra-se hospitalizado.

O Gabinete de Segurança israelita anunciou uma reunião de emergência para hoje.

Entretanto, hoje, o COGAT, organismo do Ministério da Defesa responsável pela coordenação das atividades israelitas nos territórios ocupados, anunciou a suspensão das autorizações de entrada de 83 mil palestinianos por altura do Ramadão.

Lusa

  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.