sicnot

Perfil

Mundo

Holandesa presa no Qatar condenada após queixar-se de violação

Um tribunal de Doha, no Qatar, condenou hoje a um ano de prisão, ou pagamento de multa, por adultério, uma holandesa que apresentou queixa por violação, durante as suas férias naquele país, refere uma fonte judicial.

© REUTERS FILE PHOTO / Reuters

A mulher identificada pelo nome próprio Laura não esteve na audiência e será expulsa do Qatar assim que pagar uma multa de 732 euros, acrescentou a fonte citada pela agência noticiosa francesa AFP.

A holandesa, de 22 anos, rejeita a acusação de adultério.

A acompanhar o processo, a embaixadora da Holanda no Qatar, Yvette Burghgraef-van Eechoud, declarou aos jornalistas que os seus serviços vão ajudar Laura a deixar Doha.

"Faremos tudo para que ela deixe o país o mais cedo possível", disse a diplomata, acrescentando que a mulher pode sair do Qatar nos próximos dias.

O homem julgado com Laura, um cidadão sírio identificado como Omar Abdallah al-Hassan, foi julgado a 100 chicotadas por adultério e 40 chicotadas pelo consumo de álcool, interdito neste emirato conservador que segue a lei islâmica, segundo a fonte judicial.

Omar Hassan, que também não esteve na audiência, será submetido a uma exame médico para verificar se está em condições de receber o castigo físico.

Laura foi presa a 14 de março por suspeita de adultério, o que, naquele país, significa ter relações sexuais fora do casamento, e é proibido, como explicou o seu advogado, Brian Lokollo, na semana passada.

O advogado relatou que a jovem holandesa estava de férias no Qatar, alojada num hotel onde é permitido o consumo de álcool e diz ter sido drogada no hotel, percebendo que tinha sido violada quando acordou num apartamento que desconhecia.


Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01