sicnot

Perfil

Mundo

Matadouros vietnamitas abatem animais com marretadas na cabeça

Um funcionário de um matadouro vietnamita foi filmado a dar marretadas a animais de exportação provenientes da Austrália por ativistas da Animals Australia, que cederam um vídeo para transmissão na televisão pública australiana.

© Ross Courtney / Reuters

Disfarçados, os ativistas conseguiram filmar no mês passado um funcionário a acertar cinco vezes com uma marreta na cabeça de um bovino antes de o animal cair no chão, ao lado de duas vacas mortas. O homem continuou e deu mais quatro marretadas na vaca, até esta morrer.

O grupo de ativistas disse ter feito a "operação mais perigosa de sempre" ao visitar 13 matadouros no norte e centro do Vietname, um dos maiores mercados de exportação de gado australiano e que desenvolve uma indústria multimilionária no abate de animais.

Desses 13 espaços, apenas dois "cumpriram os requerimentos australianos de matadouros aprovados", disse a diretora da campanha, Lyn White, ao canal televisivo público australiano ABC, que hoje transmitiu o vídeo na televisão nacional.

"Pensava ter visto de tudo, mas não vi", disse a ativista.

Animals Australia viu que as mossas de identificação eram retiradas das orelhas dos animais, para não se poder encontrar os exportadores, e as mortes aconteciam "em condições sem higiene e imundas".

É a segunda vez que o grupo consegue filmar alegados abusos nos matadouros vietnamitas, declarando que milhares de animais vindos da Austrália são abatidos em instalações não aprovadas por Camberra, condição exigida no controlo de exportações.

White disse que a organização decidiu não publicar o vídeo que filmou no ano passado, enviando-o apenas ao Conselho Australiano de Exportadores de Gado (ALEC, na sigla em inglês).

Segundo White, o Conselho prometeu responder dentro de seis semanas, mas não fez qualquer ação.

O presidente da ALEC, Simon Crean, disse à ABC que os procedimentos filmados eram indesculpáveis, pois "nenhum animal devia passar pelo medo ou pela dor".

Crean declarou que o Conselho decidiu "parar o fornecimento de gado às instalações que se encontram sob investigação".

Num comunicado, o conselho de exportadores referiu que a exportação está suspensa para a região vietnamita Bai Do e para um curral em Haiphong.

Na nota pode ler-se ainda que o órgão vai rever a gestão e supervisão do controlo e rastreabilidade de bovinos para perceber como é que alguns mamíferos podem ser enviados para instalações não aprovadas.

O departamento governamental da Agricultura e dos Recursos Hídricos encomendou uma investigação e admitiu que os animais do vídeo eram provenientes da Austrália.

"Os exportadores foram imediatamente alertados da queixa para que pudessem agir com urgência com vista à proteção do bem-estar dos animais que se encontram no Vietname", foi uma afirmação da autoridade.

A exportação do gado da Austrália já foi alvo de grande atenção mediática, como em 2013, quando o envio para o Egito esteve cortado durante meses devido a gravações que mostravam tratamento "horrífico" de vacas.

As trocas com a Indonésia foram suspensas em 2011 devido às atrocidades cometidas pelo país do arquipélago situado entre os continentes asiático e australiano.

As estimativas do governo apontam para uma exportação anual de gado no valor de 800 milhões de dólares (717 milhões de euros), uma atividade que emprega milhares de pessoas.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.