sicnot

Perfil

Mundo

Dois mortos em operação de libertação de luso-moçambicana raptada em Maputo

Uma cidadã luso-moçambicana raptada no passado dia 2 em Maputo foi libertada pela polícia no domingo, numa operação que resultou na morte de dois supostos membros da quadrilha, disse à Lusa a polícia moçambicana.

© Grant Neuenburg / Reuters (Arquivo)

"Felizmente, a senhora voltou ao convívio familiar, está bem de saúde, mas, infelizmente, dois membros da quadrilha que raptou a mulher morreram na troca de tiros com a polícia", disse o porta-voz do Comando da Polícia da República de Moçambique na província de Maputo, sul de Moçambique, Emídio Mabunda.

Mabunda afirmou que os alegados membros da quadrilha abriram fogo quando se aperceberam da chegada da polícia na casa que servia de cativeiro, no bairro Jonasse, distrito de Boane, província de Maputo, cerca de 20 quilómetros da capital moçambicana.

Na ocasião, a polícia deteve uma mulher, que acusa de ser parte da quadrilha, e apreendeu uma arma AK-47 e uma pistola Makarov.

Fonte próxima da família da vítima confirmou à Lusa a libertação da mulher.

Desde 2012, as principais cidades moçambicanas, principalmente a capital do país, têm sido palco de uma onda de raptos, cujas vítimas são, na sua maioria, libertadas mediante pagamento de resgate, ante a impotência das autoridades policiais em estancar este tipo de crime.

Várias pessoas, incluindo polícias, já foram condenadas a pesadas penas de prisão por envolvimento em raptos em Moçambique.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.