sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 700 médicos mortos em cinco anos de guerra na Síria

Mais de 700 médicos e outros profissionais de saúde foram mortos na Síria desde o início da guerra, há mais de cinco anos, a maioria em ataques aéreos contra instalações de saúde, informaram hoje especialistas da ONU.

Um médico (ao centro) dá formação em primeiros socorros a um grupo de rebeldes sírios.

Um médico (ao centro) dá formação em primeiros socorros a um grupo de rebeldes sírios.

© Goran Tomasevic / Reuters (Arquivo)

O presidente da comissão de inquérito da ONU sobre a Síria, o brasileiro Paulo Pinheiro, afirmou hoje perante o Conselho de Direitos Humanos da ONU que ataques aéreos dirigidos e generalizados contra hospitais e clínicas por toda a Síria "tiveram como resultado muitas mortes civis, incluindo muitos tão necessários profissionais de saúde".

"Mais de 700 médicos e profissionais de saúde foram mortos em ataques a hospitais desde o princípio do conflito", disse.

Pinheiro, que apresentou hoje ao Conselho o mais recente relatório da comissão, afirmou que os ataques a instalações médicas e as mortes de tantos profissionais médicos tornaram o acesso a cuidados de saúde no país extremamente difícil e, em algumas zonas, completamente impossível.

"À medida que as baixas civis aumentam, o número de instalações e pessoal médico diminui, limitando ainda mais o acesso a cuidados médicos", disse.

O especialista denunciou por outro lado ataques a outras infraestruturas essenciais à vida civil, como mercados, escolas e padarias.

"A cada ataque, os sobreviventes ficam mais vulneráveis", disse, acrescentando que "escolas, hospitais, mesquitas, depósitos de água... está tudo a ser transformado em ruínas".

O conflito armado na Síria, iniciado em março de 2011, já fez mais de 280.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados, segundo a ONU.

Paulo Pinheiro referiu por outro lado que a comissão está a investigar alegações segundo as quais a Frente al-Nosra e "outros grupos ligados à Al-Qaida", "recrutaram centenas de crianças menores de 15 em Idleb", no noroeste da Síria.

Lusa

  • CDS quer que Governo revele detalhes do negócio do Novo Banco
    0:46

    Economia

    O CDS considera fundamental que o Governo revele os detalhes do negócio do Novo Banco para que pare com a especulação. Os centristas guardam uma posição política para depois de serem conhecidos os pormenores e lembram, mais uma vez, que o Executivo tem uma maioria parlamentar de Esquerda que o apoia.

  • ASAE faz doação de roupa apreendida
    1:15

    País

    A ASAE doou cerca de 200 peças de vestuário à Associação CAIS, apreendidas em ações de fiscalização. O valor destas peças é de quase 10 mil euros. Em 2016, a ASAE fez 100 ações de doação, um total de aproximadamente 14 mil peças.

  • PSD tem dúvidas sobre legalidade da taxa de proteção civil de Lisboa
    0:33

    País

    O PSD disse esta quarta-feira que a taxa de proteção civil da Câmara de Lisboa é um imposto e tem dúvidas sobre a legalidade. Numa reação ao envio deste diploma para o Tribunal Constitucional pelo Provedor de Justiça, os sociais-democratas deixaram ainda a promessa de acabar com a taxa, caso vençam as eleições na capital.

  • Conheça o Spa para recém-nascidos
    1:28

    Mundo

    Chama-se Baby Spa Perth e fica na Austrália. Nos últimos dias, o mundo ficou a conhecer este spa graças às fotografias dos bebés com as boias, que se tornaram virais nas redes sociais. O spa tem hidroterapia personalizada e massagens relaxantes. A boia, Bubby, permite que os bebés possam flutuar na água, sozinhos e em segurança.

    Patrícia Almeida

  • A rã que brilha no escuro
    2:08

    Mundo

    É a última descoberta do reino animal. Foi encontrada acidentalmente na Argentina uma nova espécie de rã, fluorescente.