sicnot

Perfil

Mundo

ONU "condena veementemente" lançamento de mísseis pela Coreia do Norte

O Conselho de Segurança da ONU repreendeu hoje a Coreia do Norte pelos seus mais recentes testes de mísseis, condenando aquilo que classificou como "graves violações" de uma série de resoluções emitidas.

© KCNA KCNA / Reuters

O Conselho instou os Estados-membros a aumentarem as sanções impostas à Coreia do Norte no início deste ano, depois de o país ter realizado um quarto teste nuclear e o lançamento de um 'rocket' de longo alcance.

"Os membros do Conselho de Segurança lamentam todas as atividades de mísseis balísticos da República Popular Democrática da Coreia (DPRK), sublinhando que tais atividades contribuem para o desenvolvimento pela DPRK de sistemas de lançamento de armas nucleares e para aumentar a tensão", declarou o Conselho de Segurança em comunicado.

Na quarta-feira, o presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o embaixador francês François Delattre, classificou os mais recentes disparos de mísseis balísticos norte-coreanos como "uma violação flagrante e inaceitável das resoluções do Conselho de Segurança" e o programa balístico de Pyongyang como "uma grave ameaça à paz e à segurança regional e internacional".

A Coreia do Norte disparou na quarta-feira dois poderosos mísseis de médio alcance que parecem ter voado distâncias claramente maiores que nos anteriores lançamentos mal sucedidos, de acordo com o ministério da Defesa sul-coreano.

Várias resoluções do Conselho de Segurança proíbem à Coreia do Norte qualquer atividade nuclear ou balística.

Após o quarto ensaio nuclear norte-coreano, a 06 de janeiro, seguido, a 07 de fevereiro, do lançamento de um 'rocket', amplamente considerado o ensaio disfarçado de um míssil de longo alcance, o Conselho de Segurança da ONU adotou as sanções mais pesadas alguma vez infligidas a Pyongyang.

Lusa

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.