sicnot

Perfil

Mundo

Rebeldes somalis reivindicam ataque em hotel e mantêm número indeterminado de reféns

Rebeldes islamitas somalis 'shebab' reivindicaram o ataque hoje perpetrado contra um hotel da capital da Somália, Mogadíscio, e mantêm um número indeterminado de reféns no interior da unidade hoteleira, informou a polícia local.

© Feisal Omar / Reuters

Segundo a mesma fonte, continuam a ser ouvidos tiros disparados do interior do edifício.

Após a explosão de um carro armadilhado nas imediações do hotel Naasa Hablood, um grupo de homens armados entrou nas instalações da unidade hoteleira.

Neste momento, não existem informações sobre possíveis vítimas.

O Naasa Hablood é um hotel muito frequentado por políticos e residentes estrangeiros. Está situado na zona norte da capital.

Este ataque acontece pouco mais de três semanas depois de um outro ataque que teve como alvo o hotel Ambassador, também em Mogadíscio. No ataque de 01 de junho morreram 10 pessoas.

Nos últimos meses, os insurgentes islâmicos somalis 'shebab', que juraram destruir o governo da Somália e que são um ramo da rede terrorista Al-Qaida, realizaram vários ataques contra restaurantes e certos hotéis de Mogadíscio.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.