sicnot

Perfil

Mundo

Grupo de prémios Nobel pede a Greenpeace que aceite alimentos transgénicos

Um grupo de 109 prémios Nobel criticou hoje, numa carta, a associação ecologista Greenpeace por recusar a produção de alimentos transgénicos (geneticamente modificados), considerando que pode representar um "crime contra a humanidade".

© Tim Sharp / Reuters

Na carta, os signatários referem que a agência das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) advertiu que a produção mundial de alimentos terá de duplicar até 2050 para satisfazer a procura.

"As organizações que se opõem às novas formas de fazer agricultura, lideradas pela Greenpeace, negam aquelas previsões repetidamente e estão contra inovações biotecnológicas" naquele setor, referem os signatários, incluindo o norte-americano Phillip Sharp, prémio Nobel da Medicina em 1993.

A Greenpeace e outros grupos, sublinham, "têm deturpado os riscos, benefícios e impactos e apoiam a destruição de campos de ensaio e de projetos de pesquisa aprovados".

Os especialistas -- premiados em disciplinas como a Medicina, Física, Química e Economia -- exortam a organização ecologista a "reavaliar a experiência de agricultores e consumidores de todo o mundo em relação à produção e a alimentos melhorados através da biotecnologia".

Segundo os especialistas, a Greenpeace deve "reconhecer os resultados dos organismos científicos competentes e das agências reguladoras e abandonar a sua campanha contra os transgénicos em geral e em particular contra o arroz dourado".

Os prémios Nobel reiteram que as agências reguladoras concluíram que os transgénicos "são tão seguros, ou mais, que os derivados de outros métodos de produção" e asseguram que "nunca foi detetado um caso com um resultado sanitário negativo para consumo humano".

Lamentam também a oposição da Greenpeace ao arroz dourado, que "tem o potencial de reduzir ou eliminar muitas das mortes causadas por deficiência de vitamina A, que tem maior impacto nas populações residentes em África e no sudeste da Ásia".

Lusa

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Já há destinos esgotados para o Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • As crianças que estão a morrer à fome em África

    Mundo

    A UNICEF alertou esta terça-feira que a má nutrição aguda que afeta a Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iémen coloca este ano em "iminente" risco de morte 1,4 milhões de crianças devido à fome que existe naqueles países. São milhares de casos de um incessante desespero numa luta diária pela sobrevivência.

  • Cães desfilam no Rio de Janeiro
    1:00

    Mundo

    O tradicional cortejo de Carnaval brasileiro só acontece daqui a uns dias, mas no Rio de Janeiro já há inúmeros desfiles pelas ruas. Na praia de Copacabana, os animais mascararam-se de humanos.