sicnot

Perfil

Mundo

Vários feridos e detidos em confrontos na Bolívia

Violentos confrontos eclodiram, na quarta-feira, entre polícias e funcionários de fábricas na Bolívia durante as manifestações contra as leis do Presidente Evo Morales, resultando em vários feridos e detidos, segundo fontes governamentais e sindicais.

"Quatro polícias ficaram feridos", após terem sido atacados com pedras, disse, em conferência de imprensa, o ministro do Interior, Carlos Romero.

A polícia utilizou gás lacrimogéneo para desimpedir uma artéria de Cochabamba, cidade situada a 400 quilómetros a leste da capital, La Paz, que estava bloqueada desde a manhã de quarta-feira pelos operários.

A dirigente sindical Angel Camacho garantiu, por seu turno, em declarações aos jornalistas, que mais de 60 pessoas foram detidas e que "várias" foram feridas pela polícia.

Inúmeras marchas foram organizadas na quarta-feira em seis de nove regiões da Bolívia, e as ruas foram bloqueadas no arranque dos três dias de protestos convocados pela Central operária boliviana (Cob), a maior do país, que era até aqui aliada do Presidente Evo Morales.

A Cob exige a anulação de um decreto que ordena o fecho de uma fábrica têxtil do Estado, bem como alteração a outras regras sobre o funcionamento das empresas públicas, pensões e os direitos dos trabalhadores.

Lusa

  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Bastonário dos médicos diz que a classe deixou de acreditar no ministro da Saúde
    2:24

    País

    Desde Março do ano passado que perto de mil médicos especialistas aguardam colocação nos hospitais. O concurso, prometido várias vezes pelo ministro da Saúde, não abriu ainda por falta de autorização do Ministério das Finanças. Amanhã, quinta-feira, um grupo destes médicos vai à Assembleia da República entregar uma carta que entretanto já seguiu para os ministros da Saúde e Finanças.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25