sicnot

Perfil

Mundo

EUA matam por lapso 116 pessoas em países onde não estão em guerra

O Governo norte-americano confirmou, esta sexta-feira, que os EUA mataram por lapso 116 pessoas em países onde não estão em guerra. Estes números divulgados pelo diretor da Agência de Inteligência norte-americana são no entanto mais baixos do que os que tem estado a ser avançados pelas organizações não-governamentais.

MARK LENNIHAN

Ataques aéreos realizados por drones norte-americanos mataram cerca de 116 civis e 2.581 combatentes fora do Iraque, Afeganistão e Síria, desde 2009, informaram os serviços de informações dos Estados Unidos.

O diretor nacional do serviço de informações dos Estados Unidos, James Clapper, publicou estimativas em relação às mortes em 473 ataques, entre 1 de janeiro de 2009 e o final de 2015, num relatório sobre os ataques aéreos norte-americanos com recurso a aviões e 'drones'.

Esta foi a primeira vez que a administração do presidente Barack Obama publicou um resumo das vítimas dos seus ataques fora de zonas de guerra "ativas".

Esta publicação dá-se depois de vários grupos de direitos humanos e meios de comunicação terem exigido uma melhor contabilização dos números de vítimas.

Os críticos têm, desde há muito tempo, falado sobre os ataques aéreos e sobre o facto de estes matarem muito mais civis do que a administração Obama admite, e a publicação deste relatório não deve mudar essa narrativa.

"Os dados divulgados hoje devem ser considerados à luz das limitações inerentes à capacidade de determinar o número preciso de mortes de combatentes e de não-combatentes" afirmou James Clapper, em comunicado.

A Casa Branca lançou, entretanto, uma ordem executiva que fornece informações adicionais sobre práticas e procedimentos que podem ser aplicadas aos ataques aéreos, independentemente do local onde são realizados.

"Os Estados Unidos devem manter e promover melhores práticas para reduzir a probabilidade de vítimas civis, tomar medidas adequadas quando essas fatalidades ocorrem e retirar lições das nossas operações para melhorar a proteção de civis", afirmou Obama na sua ordem executiva.

com Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC